Grey’s Anatomy 7×10 Adrift and At Peace

Nossa avaliação

"Keep fishin' if you feel it's true There's nothing much that we can do to save you from yourself"

Então… aqui vai uma historinha: meu pai adora pescar. Muito. E quando eu era criança lá em Barbacena, ele sempre me levava, e meu irmão também. O problema é que eu tinha tanto a ver com pescaria quanto Cristina Yang – e me comportava tão inadequadamente quanto. Não sou o tipo de pessoa que pesca. Sou o tipo de pessoa que escreve besteiras em um blog. Mas eu tinha 8, 10 anos e achava que, se não fosse muito bom naquilo, meu pai não ia gostar de mim. Só que eu NUNCA consegui pegar um peixe.

Tudo isso para dizer que às vezes tudo de que você precisa é um peixe. Um só. Então, quando Cristina olha para o seu troféu e chora, talvez seja porque ela se dá conta de que conseguiu não pensar no seu trauma por algumas horas. Ou porque percebe que não é mais uma cirurgiã – e não morreu por causa disso. Ou ainda porque descobre que é capaz de ser feliz de novo. Ou nenhuma das anteriores. Ela chora porque precisava daquele peixe. E para que fique registrado: Yang pescadora é ainda mais engraçada que Yang Coiote Ugly.

Enquanto ela e Derek pescavam, construindo uma amizade estranha, mas verossímil, Meredith e Owen não se davam tão bem. Ao tratarem um casal que caiu em um barranco durante a lua de mel, os dois foram obrigados a confessar a culpa que botam um no outro pela situação de Cristina. Grey responsabiliza a inércia de Hunt, que casou com Yang em um momento de fragilidade e não fez nada para evitar que ela caísse aos pedaços. Owen culpa a falta de cuidado com a própria vida de Meredith, que pediu que um homem atirasse nela grávida, colocando Cristina em uma situação de heroísmo que não condiz com quem ela é.

Os dois estão parcialmente certos (e errados) e a discussão foi muito bem atuada. É interessante ver como estão usando esta temporada para testar a amizade de Grey & Yang, problematizando pela primeira vez o fato de que elas não são tão iguais assim. Aliás, o silêncio entre as duas na casa de Meredith no início do episódio foi uma das melhores cenas – e com certeza a mais incômoda – do capítulo. É assustador ver as duas, pela primeira vez, sem ter o que dizer uma para a outra.

Extraindo uma vesícula biliar pela boca. Sim, isso é possível. E nojento.

Já Karev e Callie choraram as pitangas da perda, respectivamente, da namorada de trabalho e da namorada real. Torres, especialmente, deu um show cômico, usando de sua arrogância cirurgiã para dar a volta por cima após o pé na bunda. Essa tem sido, sem dúvida, a temporada em que ela deixou de ser um personagem-B para assumir um lugar entre os destaques de “Grey’s anatomy”. [spoiler]E a volta de Arizona no fim do episódio deve dar ainda mais pólvora para essa boa fase da atriz.[/spoiler]

Bailey, por sua vez, quer curar fístulas. Ok, temos que admitir: estamos achando essa storyline meio que surgida do nada e sem muita graça. Principalmente quando aparece um enfermeiro vindo do limbo e querendo dar ordens e lições no primeiro episódio em que dá as caras. Primeiro, suspeitamos que ele fosse pegar a Lexie. Depois, quando ela chamou o Mark para ajudá-la, imaginamos que ele fosse gay – seria uma cena desconfortável, ainda que potencialmente engraçada.

Mas, no final, foi o tal Eli que descobriu a cura das fístulas e acabou dando um “Olá, enfermeira!” em Miranda. Parece que os roteiristas estão tentando arrumar alguém tão mandão quanto Bailey para conquistá-la, mas esse enfermeiro vai ter que andar mais pianinho pra ganhar nossa aprovação (somos muito cuidadosos com nossa Nazi).

Por fim, desesperançada com a crise de Yang, Teddy foi atrás do seu próprio milagre de Natal (aliás, segundo as músicas e a decoração, era natal no Seattle Grace, mas não parecia muito. Estranho). Enfim. Após não conseguir um tratamento gratuito para um paciente terminal, ela se ofereceu em casamento para que ele pudesse usar seu plano de saúde. Sim, Teddy fez isso. É o início de uma trama que gravita entre o Denny Duquette all over again e o total absurdo. Mas casamentos são uma coisa meio ultrapassada mesmo e nós meio que apoiamos seu uso para fins pragmáticos. Vamos ver onde isso vai dar. Algo nos diz que a tal ex-namorada dele vai aparecer e isso vai ficar meio bagunçado.

E segundo a promo abaixo, para enfrentar a concorrência de American Idol, que em janeiro estreia nas quintas lá nos EUA, “Grey’s anatomy” vai pegar pesado ano que vem. Torçamos.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • A gente
  • Home
  • Retro
  • Homeopatia
  • Overdose
  • Plantão
  • Receituário
  • Ressonância
  • Sem categoria
  • 2020
  • 2019
  • 2018
  • 2017
  • 2016
  • 2015
  • 2014
  • 2013
  • 2012
  • 2011
  • 2010
  • 2009