A A
RSS

Entrevista: Alice Braga

por

9 de fevereiro de 2011

Cinema, Ressonância

Ela chegou sorridente e fez questão de cumprimentar cada um do pequeno grupo de jornalistas que a aguardava no lobby de um hotel de luxo em São Paulo. Alice Braga é atualmente a brasileira de maior destaque em Hollywood, e o motivo do encontro não poderia ser outro: um novo filme sendo lançado. No caso, “O Ritual”, obra sobre exorcismo que ela fez ao lado do novato Colin O’Donoghue e do veterano Anthony Hopkins.

A simpatia da chegada continuou por toda a entrevista. Falando sobre exorcismo (claro), Walter Salles, novela e Anthony Hopkins, Alice Braga nunca tira o sorriso do rosto. E tinha seus motivos: “O Ritual” estreou em primeiro lugar na bilheteria nos Estados Unidos (ninguém ainda sabia que na semana seguinte o filme teria uma queda vertiginosa para a sexta posição…).

Alice conversou empolgada com o Pílula Pop, gesticulando muito e gargalhando mais ainda. Além de fazer revelações sobre seu filme seguinte, “On The Road”, a atriz falou de tudo um pouco. Senhoras e senhores, com vocês, a Miss Braga (que definitivamente saiu da sombra da tia Sônia).

O Ritual

Desde a primeira vez que li o roteiro, gostei muito. Tem as qualidades de um filme de terror, exorcismo. É um universo que, na minha opinião, é muito controverso. Acho importante falar sobre o tema.

Quando li, estava filmando o “Predadores” e a gente estava fazendo noturna. Foi um dia em que eu estava de folga. Só que não tinha dormido à noite, então dormi durante o dia inteiro e fiquei acordada de madrugada. Aí eu li (o roteiro). Estava sozinha em um quarto escuro, frio. Fiquei morrendo de medo.

Anthony Hopkins

Quando eu li, eles estavam começando a fechar o elenco. O Anthony veio em seguida. Quando descobri que era ele eu quase morri do coração! E foi maravilhoso. Ele é um ícone. Claro que é uma referência para muitos atores. Para mim sempre foi.

Quando a gente foi ensaiar a cena final foi inevitável aquela piada clássica “por favor não me morde”. Não tem como você olhar pro Anthony Hopkins num personagem enlouquecido como esse e não lembrar do Hannibal Lecter. Foi uma honra porque é maravilhoso poder olhar de perto para um ator que é tão apaixonado pelo que faz, tão comprometido, tão preparado.

Exorcismo

Eu nunca pensei sobre exorcismo. Existe um debate há muito tempo… sobre a existência do diabo. Eu nunca acreditei muito. Não posso dizer que hoje acredito, mas quando comecei a pesquisar pra personagem, você fica em dúvida. Se eu tinha algum preconceito, ele foi embora. A gente conviveu com o padre Gary (em quem foi inspirado o filme), ele vive isso e contou coisas pra gente. Você acaba também se perguntando.

Currículo de filmes sombrios

Não foi uma coisa muito planejada. Minha mãe vive me perguntando quando eu vou fazer uma comedia romântica (risos). Meus primos ficam “poxa, a gente não pode entrar nos filmes, porque é 18 anos…”(mais risos). Acabou que foram os roteiros que chegaram… Às vezes você faz teste que pega, às vezes não… Eu me divirto muito. Por exemplo, “Predadores”. Você está lá, com uma arma gigante… (e ainda mais risos) Eu adoro!

On the Road

Sempre foi meu sonho trabalhar com o Walter Salles. E é um projeto tão especial, um livro que estão tentando adaptar há muitos anos. Eu li quando era adolescente e adorei. Fiquei muito honrada com o convite. Além disso, é um filme muito especial pro Walter.

Minha personagem é a Terry, uma mexicana que mora nos Estados Unidos e trabalha num campo de algodão. O personagem do Sal Paradise a conhece e vai viver um pouco o cotidiano dela… É muito interessante como ela é aparte desse movimento beat, que tá rolando na história. Ela traz uma outra visão, uma outra maturidade pra ele. Já acabaram as filmagens, mas o filme só vai ser lançado em 2012.

Fama

É só uma camada da população brasileira que vai ao cinema porque é muito caro o ingresso. Então no meu caso, que nunca fiz novela, nunca estive muito na televisão, as pessoas não me reconhecem tanto.

Televisão

Tenho muita vontade de fazer televisão, porque é um desafio. Fazer uma minissérie… Quando me chamaram pra fazer novela eu já estava com outro contrato assinado. Mas eu tenho muita vontade de aceitar desafios porque atuar é o que eu mais amo.

Bolão da Alice: "Eu acho que A Rede Social vai ganhar (o Oscar 2011), mas eu não vi todos que estão concorrendo".
Bolão da Alice: "Eu acho que A Rede Social vai ganhar (o Oscar 2011), mas eu não vi todos que estão concorrendo".

Tags: , , , , , ,

Leave a Reply

*

Pílula no Facebook

Enquanto isso, no Twitter

Arquivos

Categorias

-->

resume writing services