A A
RSS

Grey’s anatomy 7×21 I will survive

por

14 de maio de 2011

Receituário, TV

ATENÇÃO: Não leia o texto abaixo se você ainda não viu o episódio. Contém spoilers da cena final.

Oh, Alex.

Oh, oh, Alex.

Putz.

Meredith e Alex não se batiam muito no início da série. Quase saíram no tapa em um episódio da primeira temporada. Mas, a partir de um determinado momento na segunda, descobriram que são muito mais parecidos do que imaginavam, tornaram-se confidentes e construíram uma das amizades mais sutis – e sólidas – de “Grey’s anatomy”. Na sua dark-and-twistedness em comum, os dois sempre se comunicaram sem muitas palavras.

Mas aí em I will survive, Karev foi traído e fodido pela trocentésima mulher na sua vida. E encheu a cara. E traiu a melhor amiga, revelando para Owen o deslize de Grey no Estudo Clínico sobre Alzheimer. Ainda não dá pra saber exatamente como isso vai afetar a relação dos dois, mas não temos certeza se perdoaremos os roteiristas por arruinarem um dos nossos laços favoritos da série.

Joe's: a bebida entra, os segredos (dos amigos) saem...
Joe's: a bebida entra, os segredos (dos amigos) saem...

O episódio foi o melhor desde o desastre musical e talvez um dos mais agradáveis deste ano, pelo simples fato de retornar o foco do seriado para Meredith, Yang e Karev. A temporada, que havia começado até promissora, tornou-se vertiginosamente monótona e desinteressante quando a relação e a gravidez de Callie, Mark e Arizona se tornaram a storyline principal. Não porque foi ruim, mas simplesmente porque nunca vamos nos importar tanto com eles quanto com os três internos/residentes originais. (Outro problema foi que Bailey, provavelmente a única personagem que rivalize em popularidade com o trio MYK, virou quase uma participação especial, sem uma única storyline decente).

Enfim. I will survive foi um showcase particular de Sandra Oh, que há tempos não tinha tanto espaço assim pra nos lembrar de como é a melhor atriz da série. Em greve de sexo (para que Owen escolhesse ‘imparcialmente’ o novo Residente Chefe), Yang decidiu retomar o reinado da residência do Seattle Grace e, com os superpoderes da virgindade, saiu distribuindo conselhos, disparando frases geniais e roubando cirurgias – como a Cristina que conhecemos nas duas primeiras temporadas.

Mesmo traída por April (cujos superpoderes virginais são superiores por ser realmente virgem), ela conseguiu operar o cara com uma árvore crescendo no pulmão (história real!) sem a ajuda nem anuência de Altman. Yang só não passou sem um pito de Owen – aliás, as entrevistas de seleção de Hunt eram menos entrevistas do que esporros gerais sobre os piores defeitos dos candidatos. Ele explicou (de forma muito pouco gentil, é verdade) que ela nunca seria feliz em uma função administrativa. “Qualquer coisa que te tire da Sala de Operação vai te matar”, uma verdade com a qual concordamos e, depois de algumas doses de vodka no Joe’s, Cristina também.

Já Teddy, desautorizada pelo Chefe na frente da pupila, comunicou a Henry (aka cara muito doente/Scott Foley) que iria mesmo com o Dr. Perkins (aka trauma guy) para a Alemanha. O paciente/marido, que estava todo animado para contar que ganharia um pâncreas novo no Estudo Clínico do Dr. Webber, murchou na hora. E tomou a decisão honrada: pediu o divórcio. Mesmo que sua expressão de tristeza quando Altman foi embora mostrasse que o pâncreas podia estar ok, mas o coração…

Grey segura a fofa Zola, sua nova concorrente no McHeart.
Grey segura a fofa Zola, sua nova concorrente no McHeart.

Meredith, por sua vez, estava assombrada pela entrevista com a assistente social para a adoção de Zola (aka bebê fofíssimo). Derek, retardadamente apaixonado e disputando o título de McPai babão com Sloan e Sofia, não era de muito ajuda. Ninguém nunca ensinou a Grey sobre a arte de ser mãe e o desconforto e resistência dela com a garotinha no início do episódio deixavam bem claro sua reticência sobre estar apta para a empreitada. (Conselho de Cristina: se perguntassem sobre a mão na bomba ou quando ela pediu pra levar um tiro, MUDE DE ASSUNTO).

Mesmo com respostas/gaguejos que mostraram que ela é ainda mais cirurgiã que Mamãe Ganso, a entrevista foi aparentemente bem. Mas estamos certos de que esse é apenas o começo de uma longa jornada – e temos um mau pressentimento de que eles devem adotar sim um bebê, mas não será Zola…

Alex, por fim, estava com a bola toda após seu Seattle Grace for Africa – uma storyline prejudicada por atuações e diálogos ruins, diga-se de passagem. A moral do cara estava tão alta que Arizona propôs que ele assumisse o lugar dela na clínica do Malawi. Karev ficou tentado, mas pesou na balança a corrida para Residente Chefe e sua relação com a peguete/obstetra Lucy Fields. Só que, sempre péssimo em expressar seus sentimentos, Alex não deixou isso claro pra ela. E quando foi deixar e começou a fazer sua declaração de amor… Fields simplesmente comunicou que havia conseguido o emprego na África.

Sim, o mesmo que Robbins tinha oferecido pra ele. E do qual ele havia aberto mão pra ficar com ela. Fodido por abrir seu coração para uma mulher: a história da vida de Karev.

E aí ele foi pro Joe’s, encheu a cara e revelou para Owen o segredo de Meredith.

Para a season finale semana que vem, temos muitas perguntas em aberto: o que vai acontecer com Meredith, Derek e o Estudo Clínico sobre Alzheimer? Será que ela vai ser demitida (achamos que não)? Como Derek vai reagir à traição de Grey? E a adoção, como fica nessa história?  Como ficará a relação entre Meredith e Karev? E entre ela e os outros residentes? E entre ele e os outros residentes? Quem será o novo Residente Chefe (nossa aposta é a organizada April)? Será que Teddy vai mesmo pra Alemanha (leia-se, Kim Raver está deixando a série)? E Lexie, vai voltar pro Sloan?

Mas a maior bomba já foi detonada pela promo aí embaixo. Não assista se não gostar de spoilers.

Tags: , , , , , , ,

Leave a Reply

*

Pílula no Facebook

Enquanto isso, no Twitter

Arquivos

Categorias

-->

resume writing services