A A
RSS

True Blood 4×01 She’s not there

por

28 de junho de 2011

Receituário, TV

Depois de muita espera e expectativa, “True Blood” começa sua quarta temporada com (quase) todos os atores bonitos e seminus que a gente ama ver na tela do computador. Só está faltando o nosso lobisomem favorito. Joe Manganiello, cade você?

Comecemos do começo:
A HBO já tinha liberado os primeiros (e WTF) minutos da série, em que Sookie está no mundo das fadas e descobre que elas não são tão legais assim. Mas só quando ela volta daquela terra estranha com gente esquisita que tem como poder mandar hadoukens nas pessoas, nos damos conta do quão importante aquela cena era: os 13 minutos no mundo das fadas renderam 13 meses no nosso mundo.

Este primeiro episódio, então, foi uma grande apresentação do que os nossos personagens favoritos têm feito, o que deixou o capítulo bastante fragmentado (mas a gente entende a necessidade). Sentimos falta do Russel Edington e esperamos que ele reapareça do concreto um dia pra chacoalhar as coisas. Ah, e não se preocupe: passou o tempo, mas ainda é verão em Bon Temps e todo mundo continua andando de shortinho/sem camisa (ou, no caso do Lafayette, de shortinho E sem camisa).

Lafayette atualiza Sookie com as últimas #tendências de moda e maquiagem em Bon Temps 2011.
Lafayette atualiza Sookie com as últimas #tendências de moda e maquiagem em Bon Temps 2011.

Fazemos aqui um resumo reflexivo:
Quando o melhor policial da cidade é Jason Stackhouse, você sabe que tá todo mundo fudido. Pois é, Andy Bellefleur ficou viciado em V e o irmão gatinho e gostoso da Sookie, depois de passar a terceira temporada com uma linha narrativa chata de doer, deixou o cavanhaque crescer e tomou a pílula da responsabilidade e sabedoria. Mas isso não quer dizer que ele está mais legal. Vamos ver nos próximos episódios.

Lafayette usa mais maquiagem do que nunca e, depois de meses sendo arrastado por Jesus (o enfermeiro mais bonito de Louisiana) de uma bodega sobrenatural a outra, é apresentado a uma turma de bibliotecárias bruxas da pesada que ressuscitam periquitos de estimação. Aparentemente elas vão ser importantes depois, mas já aviso que tenho antipatia por toda essa linha narrativa, por puro preconceito. “True blood” não é “Supernatural”: parem de inventar seres sobrenaturais, a gente quer mesmo ver os vampiros (e os lobisomens)!

Arlene não conseguiu matar o bebê concebido com pecado (e com o serial killer da primeira temporada). Mas ela e Terry estão cuidando dele com amor (bom, só o Terry). O menino adora arrancar cabeças de Barbies, o que provavelmente significa que as bruxas vão ter que fazer alguma coisa pra evitar que ele se torne o novo anticristo (ou alguma coisa dramática assim).

Já a Tara, depois de todo aquele drama que culminou no corte-de-cabelo-na-pia-do-banheiro-com-uma-tesoura-de-costura (muito vida real, nada muda mais uma mulher que um corte de cabelo), foi pra outra cidade, virou lutadora de luta-livre-em-gaiolas e – tcharans! – tem uma relação lésbica com outra lutadora, que a chama de “Toni”. Absurdo: deixou o cabelo crescer de novo e (sacrilégio!) alisou o coitado.

Sam Merlotte agora tem amigos shapeshifters (metamorfos), com quem gosta de cavalgar. Ele não matou o irmão Tommy na última season finale, só atirou em sua perna. O pequeno patife aproveitou sua condição frágil pra virar o novo filho da mulher mais assustadora da cidade: Maxine, a mãe do Hoyt.

Sorry, Hoyt: MUITA areia pro seu caminhãozinho.
Sorry, Hoyt: MUITA areia pro seu caminhãozinho.

Por falar em Hoyt, ele está vivendo com Jessica, a vampira ruiva eternamente virgem e divertida que a gente ama, mas parece que os dois estão tendo alguns probleminhas conjugais. A julgar pelas promos da quarta temporada, o casamento não dura – ou vira uma relação muuuito aberta.

Já Bill ganhou a disputa contra a Rainha de Louisiana-e-Mississipi, o que o tornou rei de dois estados vampíricos. Ele também tá numas de entrar pra política humana, cheio dos sorrisos e discursos de aceitação. Sexy in a creepy way.

Eric também tá nessa de “venha para o lado vampírico da força” e continua o administrador da boate Fangtasia. Ah, ele ainda comprou a casa da Sookie e pode entrar nela quando quiser. Como sabemos que ele não vai matá-la, esperemos que o viking faça… ahm… outras (bad) coisas no próximo episódio.

Highlights:
Bill e Eric discutindo pela Sookie. A gente nunca se cansa 19:00
Jessica, Pam e a luta entre obedecer ao raciocínio humano ou aos instintos vampíricos 46:33
Eric aparecendo de mansinho depois do banho de Sookie – aí sim! 56:30

Chega logo, domingo que vem!

Tags: , , , , , , , , , ,

4 Comments For This Post

  1. Igor Vieira Says:

    Joe Manganiello, cade você? [2]

  2. Daniel Oliveira Says:

    Melhor cena disparada? Jessica dançando/sensualizando no Fangtasia. O episódio podia terminar ali. No way que o Hoyt vai conseguir controlar aquilo tudo.

  3. Bruna Cabo Verde Says:

    O segundo episódio já está pela internet da vida, pois a HBO americana e candense liberou pela internet por lá…

  4. Livia Aguiar Says:

    Pois é, Bruna, eu vi! Tô louca pra chegar em casa e baixar 🙂

Leave a Reply

*

Pílula no Facebook

Enquanto isso, no Twitter

Arquivos

Categorias

-->

resume writing services