Breaking Bad 4×01 – Box Cutter

Nossa avaliação

Gente, tem spoilers. Assim, MUITO SPOILER.

Episódio novo de temporada nova é, ao contrário do que o final BAFÃO da temporada anterior possa sugerir, bem relax, né? Isso posto, você, que aguentou firme suas emoções nos treze meses que separaram a terceira e a quarta parte da história, certamente terá suas respostas. Mesmo que em marcha lenta.

Nosso pitoresco protagonista, Walter White, apreendeu um pouco do clima TENSO que o rodeia nos últimos tempos. Ao contrário do professor coxinha e trêmulo que deu as caras nos primeiros episódios, o que existe agora é um negociador. Mesmo com a cabeça na ponta da espada após assassinar Gale (principal assistente do multi-periculoso Gus, o maior chefe de fase da série), Walt tem a manha de expor, cuidadosamente, os benefícios que Gus teria em manter o professor e Pinkman, o comparsa, vivos e seguros. O chefão concorda, mas, estiloso que só, resolve enfiar o estilete no pescoço de um dos seus funcionários na frente da galera. É, esse é o modo Gus de deixar claro que alguém tem que manter a empresa funcionando.

Walt reza por sua vida. Polidamente

Pinkman, um dos personagens mais desgraçadamente CHATOS da televisão americana, também ganhou uma tremenda repaginada, de whigger vacilão para whigger caladinho. Esse é o modo Pinkman de deixar claro que atirar na cara de alguém é tão corriqueiro quanto pedir omelete.

Mudando da água para a caipivodka, Saul, um dos personagens mais GÊNIOS da televisão de qualquer lugar, só aparece durante alguns segundos em todo o episódio. Como advogado picareta que é, Saul é obrigado a passar um pente fino periódico em seu escritório, como forma de se precaver contra escutas. E você aí pensando que Breaking Bad não mantém conexões com a realidade.

No núcleo dos não-criminosos, Skylar, a esposa atormentada de Walt, fez a suave transição de gestante carismática para gordinha gostosa. O filho deles, Walter Jr., parece que está bem também. Pelo menos foi o que eu conseguir presumir na única cena que menciona implicitamente o rapaz: Skylar dando um rolé na casa e um rap pancadão do bem rolando no quarto do camarada. Hank, o cunhado, continua naquele misto de perplexão e catatonia após se envolver com os gêmeos mexicanos da pesada que queriam a cabeça de Walt. Carinhosamente, resumo para vocês que a maior diversão atual do careca é dar lances no ebay.

O desafio agora, como Walt expressa em voz alta em uma cena lá pelo fim, é conviver com a periclitante sensação de que Gus pode invadir o laboratório a qualquer hora e passar a peixeira sem dó nos dois cozinheiros. Pinkman, em um arroubo bizarro de sensatez, atesta algo razoavelmente confortante: não vai ser fácil para o traficante arrumar outro químico que consiga ser digno de confiança e tão bom quanto Walt.

Será?

P.S.: O câncer de Walt não é mencionado. Suponho que ele ainda esteja lá.

2 Comentários

  • Karina
    Em 4 de agosto de 2011 1:23 0Likes

    Sério que vc não gosta do Jesse?? Eu adoro!

  • William Alves
    Em 4 de agosto de 2011 1:26 0Likes

    Não, não gosto. Mas reconheço que ele é essencial. Sem ele não teríamos conhecido o glorioso TUCO, por exemplo. (RIP Tuco)

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • A gente
  • Home
  • Retro
  • Homeopatia
  • Overdose
  • Plantão
  • Receituário
  • Ressonância
  • Sem categoria
  • 2020
  • 2019
  • 2018
  • 2017
  • 2016
  • 2015
  • 2014
  • 2013
  • 2012
  • 2011
  • 2010
  • 2009