A A
RSS

True Blood 4×09 Let’s Get Out of Here

por

24 de agosto de 2011

Receituário, TV

Eric is gonna Kill Bill
Eric is gonna Kill Bill

No episódio desta semana, finalmente vemos morrer a narrativa do bebê-diabo, Jessica vai do inferno choramingante ao sexo selvagem na caçamba, Sookie tem alucinações com Eric e Bill, Alcide continua sendo o personagem que mais mostra pele no seriado, Debbie faz a amiga e Eric, bom, Eric é um viking sanguinário, só que bem domado nas mãos de Antonia. Foi divertido? Foi! Mas houve muitas coisas irritantes também.

Semana passada, a batalha entre bruxas e vampiros de Bon Temps começou. No meio da névoa, Eric foi subjugado por Martônia, Sookie foi baleada e Bill foi atacado por bibliotecários hippies que lutavam ao lado da bruxinha espanhola.

Pã!

Começa o episódio desta semana: Alcide estava de olho em tudo e corre para salvar Sookie. Bill aparece para lhe doar o sangue curativo, só que a fadinha não está muito afim de tomar o V do ex-namorado e continua morrendo.

“O que mais podemos fazer?”, pergunta Alcide. “A gente pode rezar…”, responde Bill – ou seja, fudeu.

No QG das bruxas, Eric está sob o controle de Martônia e os hippies e a Tara não estão felizes com isso. O único que fica do lado de Marnie é o cara cabeludo, o resto não tá muito afim de capturar vampiros e etc. Só que a Marnie não vai deixar os desertores saírem. Opa, Marnie não, Antônia, melhor não errar o nome porque ela fica bravinha. O plano da bruxa de Logroño é ir até um tal de “Festival da Tolerância”, pró coexistência de vampiros e humanos, e mostrar o que os vampiros podem fazer – e o que ela pode fazer de volta (gargalhada fatal).

Close-up: Sookie está de volta à vida, já perguntando por Eric. Alcide fica puto “Véi, você quase morreu, de novo, por causa desses vampiros, pelamordedeus” e sai da sala – ainh, que dó… Já Bill promete que vai procurar pelo viking desmemoriado. Debbie está em casa, vendo filmes ruins na TV. Quando Alcide entra no quarto, ela finge dormir e – OBA, dois segundos de nudez alcidiana! Como não amar essa série?

Questões políticas

Nan Flanagan está na cidade para participar do Festival da Tolerância e acabou tendo que ouvir Jessica até Bill chegar e depois entrar no esquema da “empratada” durante o dia. Ri muito da cara dela de brava enquanto está acorrentada na cama! Mas pronto, chega de segredos. Agora ela sabe de tudo que tem acontecido em matéria de bruxaria em Bon Temps, inclusive que Eric está desaparecido. O que ela não sabe é lidar com a situação das bruxas – para a representante política dos vampiros, Antonia e seu grupinho continuam sendo hippies descabelados inofensivos.

Bill e Nan têm uma rusga feia por causa do Festival da Intolerância, mas, no fim, Nan ganha a discussão e ele vai rolar, mesmo com toda a confusão com as bruxas – e é melhor que as câmeras captem toda a tolerância angelical (?) do Rei Vampiro.

Ah, o amor!

Em casa, Sookie tem uma alucinação em que está vestida com um baby doll vermelho transparentoso e um salto alto – e nada mais. Além de sonhar com Eric aparecendo na sua porta no meio do dia, Bill também está por lá. Orgia?!?!

Note como Stephen Moyer é 53 vezes mais baixo que Alexander Skårsgard. Dá até dó!

Enquando o sonho de Sookie está rolando, ela “percebe” (oi, a gente já tinha percebido há tempos) que está apaixonada pelos dois – menàge a trois! Quer dizer quase, ambos resolvem mordê-la ao mesmo tempo, numa dupla penetração sem tanta graça.

Só eu fiquei meio assustada com o six pack da Anna Paquin? Alguém dá um pão com mortadela pra ela, por favor!

Hoyt acorda com uma ressaca fenomenal após o término com Jessica. O grandão guarda as coisas da ex em uma caixa: CD da Taylor Swift, livro da Tina Fey, algum volume da série Crepúsculo (hahaha nice touch!), produtos de cabelo, revistas femininas… essas coisas de mulherzinha. O retoque de crueldade: escrever “For You, Monster” do lado de fora da caixa. Ai, Hoyt, não precisava…

To be or not to be on a threesome?
To be or not to be on a threesome?

Tramas paralelas que nos fazem pegar no sono

Só que aí entra o Lafayette possuído pela nêga maluca carregando o bebê-diabo e UMA ARMA. Aparentemente, esta era a casa do espírito antes de falecer e Hoyt tem que sair, ou vai levar um tiro. Ai, Lala, aprenda a usar sua mediunidade, porque essa loucura não dá!

Na casa dos Bellefleur, Jason está se fazendo de hominho policial e tenta entender o que aconteceu com o bebê. Esta é a única série em que a desculpa “Não fui eu, eu estava possuído por um espírito do passado” não só cola, como é verdade! Hoyt liga para avisar que Lafayette está em sua casa com uma arma, o bebê e a boneca bizarra (“venha pra cá, Jason, e me traga uma calça, por favor” – quer dizer, Jason, pode esquecer a calça. Não sei de vocês, mas acho o Hoyt gatinho). No caminho, Andy Bellefleur toma sua dose de V e fica doidão. Vai dar merda.

O xerife chega à casa de Hoyt achando que vai tocar o terror em Lafayette. É o sangue de vampiro pirando o cara. Jason conseguiu um rayban da sabedoria e agora sabe os protocolos de polícia e tudo! Parabéns! Só que o espírito maluco em pele de Lala não vai falar com nenhum branquelo, não! E não tem medo de atirar em policial. Descobrimos que essa mulher da década de 1920 se chama Mavis e she ain’t gonna give them no baby!

É melhor que Andy fique quietinho na grama enquanto os adultos resolvem o problema. Por adultos, eu digo Jesus, o Salvador. O enfermeiro vai até a casa conversar com Mavis em pele de Lafayette e… consegue! Nada como um bom papo de hospital psiquiátrico para convencer gente possuída.

O próximo passo é fazer um ritual com pós e velas decorativas para fazer Mavis se lembrar do que aconteceu nos últimos momentos de sua vida terrena. Ela está muito deprimida, mas devolve o bebê-diabo para os pais.

Andy está muito arrependido por ter tomado sangue de vampiro (está mesmo?). Enquanto isso, Jesus, Hoyt, Terry e Jason cavaram o jardim em busca dos restos mortais do bebê de Mavis – e acham dois cadáveres. NOT CREEPY AT ALL, né?

Aí o episódio começa a parecer um spin-off de Ghost Whisperer. Quer dizer, mais do que parecia antes. O espírito, ainda possuindo Lafayette, segura o esqueleto do bebê e pronto, é hora de “ir para a luz”. Adeus, narrativa bizarra! Lafayette, let’s defeat some witches!

Eu não sei de vocês, mas estou sentindo falta da Jessica neste episódio. O bom é que todo esse “quality time” entre Jason e Hoyt vai trazer ela de volta. Jason recebe a missão de entregar as coisas de Jess na casa de Bill – ish, tentação, tentação.

O senhor Hot Pants Stackhouse vai até a casa de Bill para entregar as coisas de Jessica. Eles se amam, mas é ~proibido~. Quédizê, dois minutos se olhando e o casal tarado esqueceu de tudo que era certo e moral nessa vida e resolveu transar na caminhonete. Sério, com tanta cama chique na casa de Bill, pra quê ir numa caçamba dura, num lugar que qualquer um pode chegar em ver? Violinos ao fundo na cena – WTF?

Touched by a brujo - hahahaha
Touched by a brujo - hahahaha

Trama paralela da ideia errada

Tommy está tentando escrever uma mensagem de tchau a Sam no Merlotte’s (lembram? Ele supostamente aprendeu a ler e escrever!) quando Marcus, ex de Luna e lobisomem-chefe da região, chega procurando pelo metamorfo mais velho. Em sua ausência, deixa seu cartão com Tommy – lá vai ele ter ideia errada de novo.

Na casa de Luna está um climão por causa do ex-lobisomem dela, que pode voltar a qualquer minuto. Como resolver isso? Vamos acampar! Yey! Alguém me explica essa lógica, por favor. Mas ok, acho melhor do que se Sam tivesse proposto que Luna e sua filha se mudassem pra casa dele.

Alcide vai até a oficina mecânica de motocicletas (sim, específico) de Marcus para dizer que aceita entrar para o bando de lobisomens. Por que? Porque é importante pra Debbie – awn! Só que Marcus quer ajuda pra acabar com a raça de Sam durante a noite. Sabe como é… o chefe só quer “se comunicar” com o metamorfo que está dando em cima de sua ex.

Tommy, transformado em Sam, vai até a loja de Marcus para apanhar. Enquanto isso, seu irmão está fazendo o contrário: amando Luna em uma barraca. Existe mesmo poder no acampamento!

Tommy quase vira uma bola de sangue nas mãos dos outros lobisomens e Alcide para tudo. “Oi, Marcus disse que só ia conversar”. Bem nessa hora, Tommy volta a se parecer com Tommy e Alcide o leva de volta pra casa.

Todo mundo vai pro baile

Debbie está de volta ao vício em V. Ou seja. Ela vai até a casa de Sookie sob efeitos de dorgas vampíricas e a intenção é uma: matar? Parece que não, ela trouxe… FLORES. E quer ser amiga.

Sookie resolve, então, usar seus poderes dos quais ela sempre se esquece (quer dizer, o Alan Ball se esquece de usar mais, tipo, o tempo todo) e ouvir os pensamentos de Debbie. Ela realmente quer ajudar, então…

As novas BFFs da série, se aliam para tentar acabar com Martônia. A lobinha, pela porta da frente, fazendo que quer se aliar ao grupo de bibliotecários enquanto Sookie foi pela porta de trás e conseguiu chegar até Eric. Só que nosso viking lindo do amor está sob um feitiço e tem uma missão… Kill Bill.

Tara aparece com uma arma apontada para Sookie, mas nossa sister não está mais do lado de Antônia. Ela avisa Sookie (por pensamento! Oba, a telepatia realmente voltou pra série! Ou pelo menos para esse episódio) onde Bill está e conta do plano. Debbie não é tão amiga assim de Sookie, MAS tudo deu certo no final e as duas saem zunando de carro para salvar Bill (talvez contra a vontade de Debbie).

Martônia, então, decide que é a hora de agir, leva Eric-zumbi e o cabeludo com ela e tranca as portas da casa de Marnie. Tara tenta sair e se queima muito feio com a maçaneta da porta – gente, derrubem as portas, pelamor, nada de ficar respeitando maçanetas!

No Festival da Tolerância, diversos apoiadores da causa estão por lá para contar suas experiências boas com vampiros. Uns caras white trash com câmeras prontas pro youtube também. O que falta na festa são vampiros, como Bill mesmo denunciou. Nan Flanagan acha isso ótimo – oi?

Sookie finalmente chega no festival, onde o circo está armado. Martonia e sua turma (Eric conseguiu mais 3 vampiros mesmerizados para ajudar) estão nos bastidores, esperando o momento certo de atacar. Então… acabou o episódio. Aff. Dessa vez eu fiquei irritada.

Highlights

09’29” Alcidão Peladão! Infelizmente, foi muito rápido… Meninos héteros, tenham calma, vocês terão sua vez!

15’50” Sookie toda trabalhada no pornô softcore – não é o mesmo que Alcide nu, mas dura mais tempo.

23’50” Anna Paquin seduzindo muito pra tentar conseguir um menàge. Destaque pro strip lá no minuto 24’38”

Próximo episódio:


Muita dor e gritos no próximo episódio. Achei meio Supernatural, hein?

Tags: , , , , , , ,

Leave a Reply

*

Pílula no Facebook

Enquanto isso, no Twitter

Arquivos

Categorias

-->

resume writing services