A A
RSS

Resenhas dos indicados ao Oscar 2012

por

25 de fevereiro de 2012

Cinema, Overdose

Para preparar sua torcida (e o tradicional bolão), reunimos todas as nossas resenhas dos indicados ao Oscar 2012 em um mesmo lugar! Leia, releia e saiba mais sobre os filmes que podem fazer bonito na noite da premiação.

Filme

O Artista – Thomas Langmann

“O fascínio de “O Artista” não está em sua originalidade, muito pelo contrário. O filme emociona porque é bonito. Uma beleza feita de luz e sombra que nos lembra o motivo de uma técnica de captação, edição e projeção de imagens ser considerada arte. A sétima arte”.

 

Os Descendentes – Jim Burke, Alexander Payne e Jim Taylor

““Os Descendentes” é um filme melancólico, mas que não faz da melancolia e do sofrimento seus personagens principais, usando-os apenas como catalisadores, pois Payne entende – e mostra muito bem – que os laços de uma família são formados não pelos momentos felizes, mas pelas dificuldades enfrentadas juntos”.

Tão Forte e Tão Perto – Scott Rudin

“Só o primeiro capítulo de “Extremamente Alto e Incrivelmente Perto” é melhor do que todo “Tão Forte e Tão Perto”. O livro de Jonathan Safran Foer é criativo, divertido, interessante e consegue te pretender de uma maneira fascinante. Tudo que o filme de Stephen Daldry não faz”.

 

Histórias Cruzadas – Brunson Green, Chris Columbus e Michael Barnathan

Seres praticamente invisíveis dentro das casas em que trabalham, os personagens negros de “Histórias Cruzadas” podem até dar visibilidade para o preconceito, mas é uma pena que a parte final do filme descambe para o melodrama, deixando a discussão social para dar lugar à vontade de te fazer chorar”.

A Invenção de Hugo Cabret – Graham King e Martin Scorsese

“Da mise-en-scène vaudevillesca dos personagens secundários aos vários cartazes e referências, “A Invenção de Hugo Cabret” definitivamente não é um filme para crianças. É um filme para provar como o cinema pode fazer de todos nós uma criança: capaz de sonhar, imaginar e acreditar de novo”.

Meia-Noite em Paris – Letty Aronson e Stephen Tenenbaum

“Mas o que importa aqui é Paris, à meia-noite, em 2010, em 1920. Não só um lugar, mas um tempo e, acima de tudo, um estado de espírito que você vai querer visitar e que vai te fazer ter coragem de sonhar de novo”.

O Homem que Mudou o Jogo – Michael De Luca, Rachael Horovitz e Brad Pitt

“Aquilo que poderia ser uma confusa teia de acontecimentos e relações flui de forma tranquila graças à competência de todos em saber contar uma boa história. E se tem algo que “O Homem que Mudou o Jogo” seja, é uma história bem contada”.

 

A Árvore da Vida – Sarah Green, Bill Pohlad, Dede Gardner e Grant Hill

“Malick não fez uma obra fácil. Seu cinema de cores e texturas é denso e pode desagradar quem espera uma narrativa mais tradicional e linear, com uma história redondinha a ser contada. Seu filme não apresenta respostas, mas nos enche de questionamentos. Para onde estamos indo? Para onde caminhamos nesta terra em que não temos certeza de um plano ou se tudo é mero acaso? “A Árvore da Vida” traz uma mensagem e interpretações diferentes para cada um. É, antes de tudo, uma grande obra de cinema. Um filme que vai durar até o fim dos tempos”.

Cavalo de Guerra – Steven Spielberg e Kathleen Kennedy

“E se tudo não resulta em algo piegas e sem sentido é porque Steven Spielberg é um grande diretor, que sabe contar muito bem uma história, compõe planos belíssimos e conta com o auxílio de um elenco absolutamente fantástico”.

 

Diretor

Terence Mallick por A Árvore da Vida

Martin Scorsese por A Invenção de Hugo Cabret

Woody Allen por Meia-Noite em Paris

Michel Hazanavicius por O Artista

Alexander Payne por Os Descendentes

Ator

Demián Bichir por A Better Life

Gary Oldman por O Espião que Sabia Demais

““O Espião que Sabia Demais” é também sobre sacrifícios. Vidas sacrificadas em nome de um ideal, ou muitas vezes em nome de uma simples desconfiança. São homens que há muito tempo deixaram de ter uma vida para se entregar por inteiro a uma roda de constantes suspeitas. Nesse sentido, o personagem de Smiley é exemplar. Vivido de forma contida por Gary Oldman, ele parece comandar o ponto de vista pelo qual todos os acontecimentos nos são apresentados”.

George Clooney por Os Descendentes

Jean Dujardin por O Artista

Brad Pitt por O Homem que Mudou o Jogo

Atriz

Viola Davis por Histórias Cruzadas

Glenn Close por Albert Nobbs

Rooney Mara por Millenium – Os Homens que não Amavam as Mulheres

“Com uma direção precisa, excelentes diálogos e fantásticas atuações, “Millennium: Os Homens que Não Amavam as Mulheres” é um filme cerebral, inteligente e por vezes assustador. Mas que ganha um brilho especial todas as vezes que se concentra em seus personagens principais, especialmente em Rooney Mara e sua Lisbeth”.

Meryl Streep por A Dama de Ferro

“O ponto positivo, claro, é Meryl Streep. A atriz para variar faz uma composição perfeita e é a responsável por impedir um desastre total em “A Dama de Ferro”. É graças à sua interpretação que conseguimos nos identificar e sentir alguma simpatia por aquela figura que, se dependesse da direção e do roteiro, não faria sentido algum”.

Michelle Williams por Sete Dias com Marilyn

Ator Coadjuvante

Max Von Sydow por Tão Forte e Tão Perto

Christopher Plummer por Toda Forma de Amor

Kenneth Branagh por Sete Dias com Marilyn

Nick Nolte por Guerreiro

Jonah Hill por O Homem que Mudou o Jogo

Atriz Coadjuvante

Berenice Bejo por O Artista

Jessica Chastain por Histórias Cruzadas

Melissa McCarthy por Missão Madrinha de Casamento

Janet McTeer por Albert Nobbs

Octavia Spencer por Histórias Cruzadas

Roteiro Adaptado

Os Descendentes – Alexander Payne and Nat Faxon & Jim Rash

A Invenção de Hugo Cabret – John Logan

Tudo Pelo Poder – George Clooney & Grant Heslov e Beau Willimon

“Tudo pelo Poder tem elenco e diálogos afiados e um roteiro que traz a questão sobre meios e fins de maneira menos óbvia (portanto, mais interessante) do que outros que abordam o mesmo tema. O grande trunfo da história é apresentar essa bela fachada composta pelas virtudes dos personagens e mostrá-los dançando sobre a linha moral que eles mesmos definiram”.

O Homem que Mudou o Jogo – Steven Zaillian e Aaron Sorkin, história de Stan Chervin

O Espião que Sabia Demais – Bridget O’Connor & Peter Straughan

Roteiro Original

O Artista – Michel Hazanavicius

Missão Madrinha de Casamento – Annie Mumolo & Kristen Wiig

Margin Call: O Dia Antes do Fim – J.C. Chandor

Meia-Noite em Paris – Woody Allen

A Separação – Asghar Farhadi

Animação

Um Gato em Paris – Alain Gagnol e Jean-Loup Felicioli

Chico & Rita – Fernando Trueba e Javier Mariscal

Kung Fu Panda 2 – Jennifer Yuh Nelson

“O roteiro continua equilibrando muito bem humor e ação, e Po é um personagem realmente cativante para conseguir carregar o filme nas costas. A direção segura o ritmo ágil das cenas de ação criativas e as imagens são belíssimas, misturando a profundidade do 3D digital com momentos de animação tradicional que compõem uma China antiga ao mesmo tempo lúdica e realista”.

Gato de Botas – Chris Miller

Funcionando como uma boa diversão tanto para aqueles que já conhecem o personagem, quanto para aqueles que ainda não, “Gato de Botas” é melhor do que os dois últimos filmes da franquia “Shrek” (o que, vamos combinar, não é nenhum grande feito). A ação funciona e o gato tem carisma, mas faltou um pouco de originalidade para trabalhar com o material tão rico à disposição”.

Rango – Gore Verbinski

“As imagens belíssimas (do fotógrafo Roger Deakins) são recheadas por diálogos inteligentes, personagens cativantes, muito humor e cenas de ação empolgantes. A trilha de Hans Zimmer é um show a parte, assim como o grupo de corujas cantoras que narram o filme. Escrito por John Logan, “Rango” dosa tudo na medida certa para contar uma história que aproveita os grandes temas do western (o forasteiro, a jornada de busca, a chegada da industrialização) e os atualiza de uma forma original e divertida”.

Filme Estrangeiro

Bullhead (Bélgica) – Michael R. Roskam

Monsieur Lazhar (Canadá) – Philippe Falardeau

A Separação (Irã) – Asghar Farhadi

Footnote (Israel) – Joseph Cedar

In Darkness (Polônia) – Agnieszka Holland

Fotografia

O Artista – Guillaume Schiffman

Millenium – Os Homens que não Amavam as Mulheres – Jeff Cronenweth

A Invenção de Hugo Cabret – Robert Richardson

A Árvore da Vida – Emmanuel Lubezki

Cavalo de Guerra – Janusz Kaminski

Direção de Arte

O Artista – Laurence Bennett (Design de Produção) e Robert Gould (Decoração de Set)

Harry Potter e as Relíquias da Morte Parte 2 – Stuart Craig (Design de Produção) e Stephenie McMillan (Decoração de Set)

“É na relação entre Harry, Rony, Hermione,Neville, Draco, Dumbledore, Snape e tantos outros que reside a verdadeira magia de “Harry Potter”. Os filmes podem ter chegado ao fim, mas estes personagens continuarão a existir. Para os fãs, entretanto, o vazio deixa uma cicatriz. No formato de um raio”.

 

A Invenção de Hugo Cabret – Dante Ferretti (Design de Produção) e Francesca Lo Schiavo (Decoração de Set)

Cavalo de Guerra – Rick Carter (Design de Produção) e Lee Sandales (Decoração de Set)

Meia Noite em Paris – Anne Seibel (Design de Produção) e Hélène Dubreuil (Decoração de Set)

Figurino

Anônimo – Lisy Christl

O Artista – Mark Bridges

A Invenção de Hugo Cabret – Sandy Powell

Jane Eyre – Michael O’Connor

W.E. – Arianne Phillips

Documentário

Hell and Back Again – Danfung Dennis e Mike Lerner

If a Tree Falls: A Story of the Earth Liberation Front – Marshall Curry e Sam Cullman

Paradise Lost 3: Purgatory – Joe Berlinger e Bruce Sinofsky

Pina – Wim Wenders e Gian-Piero Ringel

Undefeated – TJ Martin, Dan Lindsay e Richard Middlemas

Curta Documentário

The Barber of Birmingham: Foot Soldier of the Civil Rights Movement – Robin Fryday e Gail Dolgin

God is the Bigger Elvis – Rebecca Cammisa e Julie Anderson

Incident in New Baghdad – James Spione

Saving Face – Daniel Junge e Sharmeen Obaid-Chinoy

The Tsunami and the Cherry Blossom – Lucy Walker e Kira Carstensen

Montagem

O Artista – Anne-Sophie Bion e Michel Hazanavicius

Os Descendentes – Kevin Tent

Millenium – Os Homens que não Amavam as Mulheres – Kirk Baxter and Angus Wall

A Invenção de Hugo Cabret – Thelma Schoonmaker

O Homem que Mudou o Jogo – Christopher Tellefsen

Maquiagem

Albert Nobbs – Martial Corneville, Lynn Johnston e Matthew W. Mungle

Harry Potter e as Relíquias da Morte Parte 2 – Nick Dudman, Amanda Knight e Lisa Tomblin

A Dama de Ferro – Mark Coulier e J. Roy Helland

Música – Trilha Sonora Original

As Aventuras de Tintin: O Segredo do Licorne – John Williams

“Caro senhor Spielberg. É muito bom saber que o senhor está de volta em “As Aventuras de Tintim: O Segredo do Licorne”. Talvez este seja seu filme mais infantil, estou certo? E talvez a sequência de perseguição no Marrocos seja uma das maiores cenas de ação da história do cinema. Mas o que mais gostei foi o retorno de seu espírito juvenil em uma espécie de Indiana Jones revisitado, abusando de movimentos de câmera que só poderiam ser possíveis em um ambiente virtual e uma mistura bem dosada de humor e correria”.

O Artista – Ludovic Bource

A Invenção de Hugo Cabret – Howard Shore

O Espião que Sabia Demais – Alberto Iglesias

Cavalo de Guerra – John Williams

Música – Canção Original

“Man or Muppet” de Os Muppets – Letra e música de Bret McKenzie

“Real in Rio” de Rio – Letra de Siedah Garret, música de Sergio Mendes e Carlinhos Brown

“Os personagens são tão cativantes quanto a história é óbvia. “Rio” faz o bê a bá das típicas animações infantis, com coadjuvantes simpáticos que aparecem e desaparecem conforme a ação pede e uma resolução pra lá de esperada. Os números musicais são visualmente interessantes, mas afetam o ritmo da narrativa, que busca combinar romance, humor e ação de forma bem equilibrada”.

Curta metragem de Animação

Dimanche/Sunday – Patrick Doyon

The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore – William Joyce e Brandon Oldenburg

La Luna – Enrico Casarosa

A Morning Stroll – Grant Orchard e Sue Goffe

Wild Life – Amanda Forbis e Wendy Tilby

Curta metragem

Pentecost – Peter McDonald e Eimear O’Kane

Raju – Max Zähle e Stefan Gieren

The Shore – Terry George e Oorlagh George

Time Freak – Andrew Bowler e Gigi Causey

Tuba Atlantic – Hallvar Witzø

Montagem de Som

Drive – Lon Bender e Victor Ray Ennis

“O homem não tem identidade, ele é um produto da cidade. Ele é uma parte dela e só faz sentido dentro dela. Quando o homem encontra uma garota, sentimentos nascem dentro dele, criando a esperança de que ele pode ser alguém, um indivíduo, algo mais que uma peça no grande motor da cidade. Mas a cidade é maior que eles”.

Millenium – Os Homens que não Amavam as Mulheres – Ren Klyce

A Invenção de Hugo Cabret – Philip Stockton e Eugene Gearty

Transformers: O Lado Oculto da Lua – Ethan Van der Ryn e Erik Aadahl

“O que ainda prevalece é a montagem epiléptica em que muitas vezes fica difícil de compreender o que acontece em cena, principalmente nos combates entre robôs (e para tentar ajudar o público, o diretor apostou em uma diferenciação pela cor: robôs coloridos são os bonzinhos, cinzas são os malvadões). Talvez escaldado pelas críticas do filme anterior, Bay dá mais espaço para desenvolvimento de personagens e para contar a história – se é que se pode falar em personagens e história em um filme desses”.

Cavalo de Guerra – Richard Hymns e Gary Rydstrom

Mixagem de Som

Millenium – Os Homens que não Amavam as Mulheres – David Parker, Michael Semanick, Ren Klyce e Bo Persson

A Invenção de Hugo Cabret – Tom Fleischman e John Midgley

O Homem que Mudou o Jogo – Deb Adair, Ron Bochar, Dave Giammarco e Ed Novick

Transformers: O Lado Oculto da Lua – Greg P. Russell, Gary Summers, Jeffrey J. Haboush e Peter J. Devlin

Cavalo de Guerra – Gary Rydstrom, Andy Nelson, Tom Johnson e Stuart Wilson

Efeitos Visuais

Harry Potter e as Relíquias da Morte Parte 2 – Tim Burke, David Vickery, Greg Butler e John Richardson

A Invenção de Hugo Cabret – Rob Legato, Joss Williams, Ben Grossman e Alex Henning

Gigantes de Aço – Erik Nash, John Rosengrant, Dan Taylor e Swen Gillberg

“Sim, você sabe o que vai acontecer no final. E sim, Levy não sabe dirigir atores. Mas a verdade é que “Gigantes de Aço” é uma diversão competente. O melhor da produção está nas cenas de luta entre os robôs, que são empolgantes e com efeitos especiais excelentes”.


Planeta dos Macacos: A Origem – Joe Letteri, Dan Lemmon, R. Christopher White e Daniel Barrett

“Se no filme de 1968 “os macacos somos nozes”, mostrando em sua civilização a mesma estupidez e arrogância típica das piores sociedades humanas, aqui os macacos são a alegoria de outra coisa. Os símios liderados por Caesar são os oprimidos, os animais maltratados, os negros e indígenas escravizados e dizimados, as mulheres vítimas de abusos, e até aquele menininho inteligente que sofria bullying no pré-primário. E a inevitável revolução é a hora catártica de todos eles”.

Transformers: O Lado Oculto da Lua – Dan Glass, Brad Friedman, Douglas Trumbull e Michael Fink

Tags: , , ,

Leave a Reply

*

Pílula no Facebook

Enquanto isso, no Twitter

Arquivos

Categorias

-->

resume writing services