Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Kevin Smith

por Daniel Oliveira

receite essa matéria para um amigo


Kevin Smith = barba + gordura + camisa de hóquei +...
Kevin Patrick Smith, nascido aos 2 de agosto de 1970, é um ultra-super-über-nerd, do tipo que gosta de “A Ameaça Fantasma” e batizou a filha com o nome de Harley Quinn, personagem dos quadrinhos do Batman. Mas é um puta nerd sortudo.

Seu primeiro filme foi feito com US$ 27.575, 00, vindos da venda da sua coleção de HQs, mais empréstimos e cartões de crédito dos pais do amigo Scott Mosier, que se tornaria o produtor de todos os seus longas. Filmado à noite na própria loja em que Smith trabalhava, “O balconista” estreou no Festival de Sundance em 1994 e, ao ser lançado pelos irmãos Weinstein no final do ano, rendeu mais de US$ 3 milhões.

A fórmula de diálogos recheados de palavrões e referências pop foi repetida em “Barrados no shopping”, consolidando a marca registrada do diretor. O filme ainda trouxe de volta os maconheiros Jay e Silent Bob (interpretado pelo próprio Smith), que se tornariam ícones dos anos 90.

Mas foi em 1997 que ele lançou o que é considerado seu trabalho mais maduro até hoje. “Procura-se Amy” foi baseado no seu relacionamento com a atriz Joey Lauren Adams, que interpreta a protagonista, e trazia os futuros astros (e amigos) Ben Affleck e Jason Lee no elenco. No mesmo ano, foi produtor executivo do sucesso “Gênio indomável”, que rendeu o Oscar de roteiro a Affleck e Matt Damon.

Vieram a polêmica de “Dogma” em 1999, que lhe rendeu mais de 10 mil hate mails, a escatologia de “O império (do besteirol) contra-ataca” e o fracasso de “Menina dos olhos”, ancorado pelo romance-tablóide Bennifer. Em 2006, Smith reaprumou a carreira, encerrando o universo de Jay e Silent Bob (que ele batizou View Askew, mesmo nome de sua produtora) com “O balconista 2”. E 2008 viu seu primeiro sucesso fora dessa saga, com “Pagando bem, que mal tem?”, com Seth Rogen e Elizabeth Banks – discípulos de Judd Apatow, considerado o Kevin Smith dos anos 2000.

Fã de quadrinhos, ele criou uma série de histórias sobre os personagens do universo View Askew, completando os buracos de tempo entre seus filmes, recentemente compiladas no livro “Tales from the clerk”. Escreveu ainda arcos para o Homem-Aranha e o Demolidor na Marvel – esse último lhe rendeu o cargo de roteirista no criticado longa estrelado por Ben Affleck – e para o Besouro Verde, na DC. Fez também um tratamento do roteiro para o filme do Super-homem, que foi descartado pelo então diretor do projeto Tim Burton – motivo pelo qual Smith o odeia (publicamente) até hoje.

Incansável, o gordo barbudo e de camisa de hóquei ainda mantém dois sites (viewaskew.com e moviepoopshoot.com) e um podcast, além de ser frenético no MySpace e Facebook, onde fala de seus projetos e eventualmente faz críticas (nerds) de filmes. Produz um esquete recorrente no Tonight Show with Jay Leno e é dono de uma loja de quadrinhos na sua cidade-natal, Red Bank, New Jersey, cenário de quase todas as suas histórias.

Ah! E claro: após o sucesso d’O balconista”, Smith comprou suas HQs de volta.

...óculos + cara de nerd simpático.
Filmografia
  • Red state (2010), anunciado
  • Pagando bem, que mal tem? (2009)
  • Duro de matar 4.0 (2007), ator
  • Tartarugas Ninja (2007), voz
  • Pegar ou largar (2006), ator
  • Southland Tales: o fim do mundo (2006), ator
  • O balconista 2 (2006)
  • Menina dos olhos (2004)
  • Demolidor (2003), ator e roteirista
  • O Império (do besteirol) contra-ataca (2001)
  • Pânico 3 (2000), ator
  • Dogma (1999)
  • Procura-se Amy (1997)
  • Barrados no shopping (1995)
  • O balconista (1994)

» leia/escreva comentários (3)