Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Keanu Reeves

por Daniel Oliveira

receite essa matéria para um amigo


Keanu virtual
Se você é daqueles que acham que Keanu Reeves é um “ator americano simplório que faz filmes de ação descerebrados”, está errado em vários quesitos.

Para começar, Keanu Charles Reeves nasceu em dois de setembro no Líbano (ali mesmo, onde o bicho está pegando). Seu pai, um geólogo mezzo havaiano mezzo chinês, e sua mãe, inglesa, conheceram-se em Beirute e se divorciaram na Austrália. Keanu morou em Nova York com a mãe, e logo depois em Toronto, onde vive até hoje. Mantém a nacionalidade canadense e nunca pediu cidadania norte-americana.

Dislexo, ele era um péssimo aluno. “O mundo tem pessoas inteligentes e pessoas burras. Acontece que eu estou no último grupo”, foi o que disse sobre seu currículo escolar. Reeves era melhor nos esportes e ganhou o apelido The wall, por seu talento como goleiro de hóquei. Largou os estudos aos 17 anos para seguir a carreira de ator.

Apesar das críticas de monoexpressividade, Keanu – que, anote aí, significa “brisa leve sobre as montanhas” – já trabalhou com: Bertolucci (O pequeno Buda), Gus Van Sant (Garotos de programa), Kenneth Branagh (Muito barulho por nada) e Francis Ford Coppola (Dracula de Bram Stoker). Além de ter começado no teatro, seu pesadelo mais comum é escreverem em seu epitáfio “Ele interpretou Ted” - personagem do filme-pipoca “Bill and Ted: Uma aventura fantástica”.

Os anos 80 ainda incluíram “Juventude assassina”, que apresentou Keanu a Hollywood, e “Ligações perigosas”, com John Malkovich e Glenn Close, seu primeiro filme “sério”. A década de 90 o rotulou como um astro de ação - apesar de ele só ter feito quatro longas do gênero, sem contar as seqüências de “Matrix”.

O primeiro foi o clássico da Sessão da tarde “Caçadores de emoção”, com Patrick Swayze. Depois, veio o blockbuster “Velocidade máxima”. O trunfo que marcou sua carreira, porém, foi o Mr. Anderson/Neo/The One/aka Superman do hit-que-virou-trilogia “Matrix”, que dispensa apresentações. Há quem diga que Reeves tenha lucrado de US$ 200 a 330 milhões com a saga.

Como o anti-herói Constantine, no filme homônimo, ele reencontrou as atrizes Rachel Weisz (Reação em cadeia) e Tilda Swinton (Impulsividade). Ele também fez dobradinhas com Charlize Theron, em “Advogado do diabo” e “Doce novembro”; Uma Thurman, em “Ligações perigosas” e “Até as vaqueiras ficam tristes”; e Sandra Bullock, em “Velocidade máxima” e “A casa do lago”.

Fora dos sets, Keanu foi baixista da banda Dogstar e lançou dois discos – Our little visionary, de 1996, e Happy endings, de 2000. Os caras até abriram pro Bon Jovi, mas Reeves teve que sair do grupo por conflitos de agenda.

E Keanu rotoscopado
Filmografia
  • Henry's crime (2010), em produção
  • A vida íntima de Pippa Lee (2009)
  • O dia em que a Terra parou (2008)
  • Os reis da rua (2008)
  • A casa do lago (2006)
  • O homem duplo (2006)
  • Constantine (2005)
  • Impulsividade (2005)
  • Alguém tem que ceder (2003)
  • Matrix Revolutions (2003)
  • Animatrix (2003), voz
  • Matrix Reloaded (2003)
  • The Great Warming (2003), narrador
  • Hard Ball – Jogada arriscada (2001)
  • Doce novembro (2001)
  • O dom da premonição (2000)
  • O observador (2000)
  • Virando o jogo (2000)
  • Me and Will (1999)
  • Matrix (1999)
  • O advogado do Diabo (1997)
  • Sem limite (1997)
  • Paixão bandida (1996)
  • Reação em cadeia (1996)
  • Caminhando nas nuvens (1995)
  • Johnny Mnemonic, o Cyborg do futuro (1995)
  • Velocidade máxima (1994)
  • O pequeno Buda (1993)
  • Até as vaqueiras ficam tristes (1993)
  • Freaklândia – o parque dos horrores (1993)
  • Muito barulho por nada (1993)
  • Dracula de Bram Stoker (1992)
  • Garotos de programa (1991)
  • Bill & Ted – Dois loucos no tempo (1991)
  • Caçadores de emoção (1991)
  • Providence (1991)
  • Tia Julia e o escrevinhador (1990)
  • Te amarei até te matar (1990)
  • O tiro que não saiu pela culatra (1989)
  • Bill & Ted – uma aventura fantástica (1989)
  • Life Under Water (1989)
  • Ligações perigosas (1988)
  • O príncipe da Pensilvânia (1988)
  • Para sempre na memória (1988)
  • Uma noite muito louca (1988)
  • Babes in Toyland (1986)
  • Aparências(1986)
  • Juventude assassina (1986)
  • Jovem de novo (1986) (TV)
  • Sindicato da violência (1986) (TV)
  • Veia de campeão (1986)
  • Voando para o sucesso (1986)
  • Irmandade da justiça (1986)
  • One Step Away (1985)
  • Letting Go (1985) (TV)

» leia/escreva comentários (8)