Busca

»»

Cadastro



»» enviar

ESPECIAL SIMPSONS: Uma Família da Pesada

por Thiago Vetromille

receite essa matéria para um amigo


Família que nasce unida...
Em um episódio de South Park, disseram que era impossível ter uma idéia nova. Tudo que você pudesse imaginar de inovador, os Simpsons já teriam usado. Por isso, quando “Uma Família da Pesada” (Family Guy) apareceu em 1999, a acusação de ser um plágio veio rápido.

Fácil perceber o porquê. É bem suspeita uma animação satirizando o estilo de vida da classe média americana, estrelada por uma família de cinco membros, mais animais de estimação, que aparece depois de 10 anos com a família amarela no ar. Um pai acima do peso e não muito inteligente, uma mãe dona de casa, mas com aspirações artísticas, uma filha adolescente com problemas de auto-estima, um filho também adolescente que segue a linha do pai, um bebê super inteligente que quer dominar o mundo e um cachorro falante com gosto refinado. Essa é a família Griffin. Lembra alguém?

Mas não é tão simples. Apesar de partirem do mesmo ponto, “Uma Família da Pesada” consegue se diferenciar dos “Simpsons” graças, principalmente, as chamadas cutaway gags, piadas sem sentido, que não adicionam absolutamente nada à história, mas que são extremamente engraçadas. Além disso, os temas abordados atingem públicos mais maduros, caem quase sempre para o escracho, e fazem uma crítica bem mais direta aos costumes americanos.

Foram Os “Simpsons” que conseguiram baratear o custo de animação, que começou a ser feita na Coréia, e trazer temas adultos para os desenhos. Com isso as animações voltaram para o horário nobre da televisão, algo que não acontecia desde que os “Flintstones” foram cancelados em 1966. Sem a família amarela, “Uma Família da Pesada” provavelmente nem teria saído das pranchetas de Seth MacFarlane.

Os próprios autores rebatem as especulações de que uma série plagia a outra. Matt Groening, criador dos “Simpsons”, já disse que gosta do trabalho de Seth e compara a rivalidade entre elas com aquela que existia entre “A Família Addams” e “Os Monstros” na década de 60.

Seth MacFarlane nunca levou essas acusações a sério. Ele formou-se em animação pela Rhode Island School of Design e foi de lá que tirou a inspiração para criar Quahog, a cidade fictícia onde a Família Griffin, mora. Ainda na faculdade, fez um curta chamado “The Life of Larry”, as aventuras de um cara e seu cachorro falante.

Depois de formado, Seth foi trabalhar para a Hanna Barbera. Lá trabalhou no segmento “Cartoon Cartoons”, com desenhos como “As Meninas Super-Poderosas”, “Laboratório de Dexter” e “A Vaca e o Frango”. E foi para o Cartoon Network que Seth fez uma continuação de “The Life of Larry” chamada “Larry and Steve” que já continha elementos de “Uma família da Pesada”, como as cutaway gags. Em 1998, a Fox chamou Seth para desenvolver uma série baseada nos curtas de Larry. Os personagens dos curtas evoluíram, alguns foram sendo acrescentados. Assim nasceu a família Griffin de Quahog.

Um caso interessante é que “Uma Família da Pesada” foi cancelada ao final da terceira temporada. Em 2003, a Cartoon Network começou a exibir episódios da série no seu bloco adulto. E fez tanto sucesso que conseguia bater a audiência dos apresentadores David Letterman e o Jay Leno, com programas no mesmo horário.

Ainda em 2003 foi lançado um box com as três temporadas produzidas até ali. As vendas atingiram a marca de 2,2 milhões de unidades. O resultado foi trazer “Uma família da pesada” de volta à televisão. A quarta temporada foi ao ar de 2004 a 2005 e a produção nunca mais parou. Até hoje foram exibidos 98 episódios, distribuídos em cinco temporadas. A sexta está prevista para começar em 23 de setembro de 2007.

...permanece unida (e vomitando em horário nobre)
Filmografia
  • Uma Família da Pesada, TV (1999-2003; 2004 - )

» leia/escreva comentários (3)