Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Selton Mello

por Marcela Vieira

receite essa matéria para um amigo


Enfiando o pé na lama em “Lavoura Arcaica”.
O versátil Selton Mello praticamente nasceu atuando. Já passou por comerciais de TV, novelas, cinema – atuou, dirigiu e produziu – além de apresentar um programa de entrevistas. O multi-artista, irmão do também ator Danton, é hoje um nome consagrado, figurando no hall de atores que escolhe a dedo os papéis e projetos.

Selton Figueiredo Mello nasceu em Passos, Minas Gerais, em 30 de dezembro de 1972. Filho de uma dona de casa e um bancário, começou pequenininho na TV em 1981, no seriado “Dona Santa”. Depois, foram vários papéis em novelas e séries de sucesso - como “Os Maias”, A Comédia da Vida Privada e “Os Normais”. Novelas foram poucas. Selton gostava mesmo do teatro e da Sétima Arte.

No cinema, já são mais de 20 filmes. Fã do ator americano Johnny Depp, Selton parece ter se inspirado no colega de profissão na escolha de papéis irreverentes e marcantes, como o Chicó de “O Auto da Compadecida” ou o Leléo de “Lisbela e o Prisioneiro”, ambos do pernambucano Guel Arraes. Ele ainda atuou em cults como “Lavoura Arcaica” e “Árido Movie”.

Seu primeiro papel no cinema, porém, foi num filme dos Trapalhões de 1990: “Uma Escolha Atrapalhada” – o mais legal (quer dizer, na minha época de criança eu achava legal), comprovando que tudo o que Selton toca vira ouro... ou quase. Em seguida, vieram trabalhos adultos e de cunho sócio-político, como “Lamarca” e “Guerra de Canudos”, ambos de Sergio Rezende, e “O que é Isso Companheiro”, de Bruno Barreto.

Em outras praias, Selton também já dublou filmes e desenhos, como o Charlie Brown do Snoopy e o Imperador Kuzco do ótimo “A Nova Onda do Imperador”. O trabalho de Selton ficou tão bom que há quem ache a versão dublada melhor do que a original. Ainda na camisa de multi-artista, o moço dirigiu videoclipes de bandas como o Ira!, produziu dois filmes (O Cheiro do Ralo e Garotas do ABC), e ainda dirige e apresenta o Tarja Preta, em que entrevista personalidades de cinema e cultura.

Com tantas funções, não é de se admirar o sucesso e respeito no mundo artístico. E a fama já ultrapassa fronteiras. Recentemente, Selton foi convidado pelo diretor Stephen Frears para o papel de Jean Charles de Menezes, brasileiro confundido com terrorista e morto pela polícia britânica em agosto de 2005, num filme ainda sem título. E, ufa, Selton estreará como diretor de longa-metragem em “Feliz Natal”, dirigindo o grande amigo, e também cult, Leonardo Medeiros. Qual será o próximo passo de Selton Mello? Aposte em conquistar o mundo.

Jece Valadão não morreu.
Filmografia
  • Jean Charles (2009)
  • A mulher invisível (2009)
  • A erva do rato (2009)
  • Federal (2009)
  • Feliz Natal (2008), diretor
  • Os Desafinados (2008)
  • Meu Nome Não é Johnny (2008)
  • Federal (2008) (pós-produção)
  • O Cheiro do Ralo (2006)
  • O Coronel e o Lobisomem (2005)
  • Os Aspones (Série TV – 2004)
  • Nina (2004)
  • Árido Movie (2004)
  • Lisbela e o Prisioneiro (2003)
  • Os Normais (Série TV 2001-2003)
  • Garotas do ABC (2003)
  • Caramuru - A Invenção do Brasil (2001)
  • Os Maias (Mini-série TV – 2001)
  • Lavoura Arcaica (2001)
  • Brava Gente (Série TV – 2000)
  • O Auto da Compadecida (2000)
  • A Invenção do Brasil (Mini-série TV – 2000)
  • Força de Um Desejo (Novela – 1999)
  • O Auto da Compadecida (Mini-série TV – 1999)
  • Guerra de Canudos (1997)
  • O Que É Isso, Companheiro? (1997)
  • A Indomada (Novela – 1997)
  • A Comédia da Vida Privada (Série TV – 1996)
  • Flora (1996)
  • A Próxima Vítima (Novela – 1995)
  • Lamarca (1994)
  • Tropicaliente (Novela – 1994)
  • Olho no Olho (Novela – 1993)
  • Você Decide (TV – 1993)
  • Pedra Sobre Pedra (Novela – 1992)
  • Uma Escola Atrapalhada (1990)
  • Sinhá Moça (Novela – 1986)
  • Corpo a Corpo (Novela – 1984)
  • Braço de Ferro (Novela – 1983)
  • Dona Santa (Série TV - 1981)

» leia/escreva comentários (6)