Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Aquele com a sessão fantasma

por Daniel Oliveira

Fotos:

» receite essa matéria para um amigo

Usina 2, 16h50, lanchinho da tarde na mão, expectativa devidamente calibrada. Estava tudo pronto para “Ato de violência”, filme altamente recomendado por meu amigo Igor Costoli. Tudo, menos o filme.

“Ato” estava sendo exibido digitalmente desde São Paulo, pela Rain – principal empresa do mercado no país. A cópia vinha legendada em inglês e os subtítulos em português foram adicionados digitalmente. Agora me acompanhe com atenção para conseguir entender: com cerca de dez minutos de filme, o público, achando tudo muito estranho, percebeu que as legendas em inglês estavam acompanhando a imagem; enquanto as em português acompanhavam o áudio, que estava pelo menos um minuto adiantado.

Esquizofrênico. Totalmente. Sério. Foi um custo para explicar à organização o que estava ocorrendo. Mais um custo para eles tentarem resolver. Cerca de meia hora de pára-e-começa de novo, com o mesmo problema. Mas não deu. O Igor havia dito que um problema similar aconteceu na cabine para a imprensa, mas foi resolvido na hora mesmo e a sessão aconteceu ‘normalmente’. Em um festival, com várias sessões em curso ao mesmo tempo, somadas à tensão do primeiro dia, o filme acabou não sendo exibido.

Verdade seja dita, a organização da mostra foi muito educada e fez o que podia ter feito nas circunstâncias. Depois da terceira ou quarta tentativa, cancelaram e prometeram que “Ato de violência” seria exibido normalmente na sessão de domingo à noite. O triste é que a gente ficou lá esperando porque o filme parecia realmente bom. Me chocou uma frase logo no início, em que o menino diz algo como “era um grupo de amigos como todos os outros. Depois de um tempo, todos aprendem a fingir bem o seu papel”. Não concordo. Muito macabro.

Então, resumo da ópera: se você quer ver “Ato” no domingo às 21h30, prepare-se. A sessão vai estar mais que concorrida, juntando o já grande público de fim-de-semana do Indie com aqueles que não assistiram à sessão de sexta-feira. Vai ser um mata-mata. Se minha saúde de 80 anos permitir, eu encontro vocês lá.

« voltar para o início

» leia/escreva comentários (0)