Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Brinquedo de escutar

30.12.04

por Rodrigo Ortega

Wonkavision – Wonkavision

(Orbeat, 2004)

Top 3: “Quando 16”, “Comprimidos" e “Aquele alguém”.

Princípio Ativo:
Açúcar e limão

receite essa matéria para um amigo

braulio-pilulapop.com.br says:
viu a chamada do brava?
::ortegaum:: says:
aham
::ortegaum:: says:
tem umas palavras q não dá pra fugir, né? fofura, melodia, cativante... a gte sempre usa
braulio-pilulapop.com.br says:
pois eh... fofura é uma palavra mto fofa :)

Poucos dias depois desta conversa, cá estou resenhando o disco de estréia dos gaúchos do Wonkavision. Clap-claps, solinhos de moog, acordes dissonantes e eu pensando: “Putz, vou ter que dizer todas aquelas palavras de novo...”.

Formada por duas meninas (Manu nos teclados e Grazi no baixo) e dois meninos (Will na guitarra e Kiko na bateria), desde 2001 a banda divulga suas canções em EPs independentes e shows pelo Brasil. Em 2004, recrutaram o guitarrista do Pato Fu, John, pra produzir este álbum de estréia. Sim, o nome da banda vem do filme “A Fantástica Fábrica de Chocolate” e não, eles não são cheios de piadinhas extravagantes como os conterrâneos da Bidê ou Balde.

Will e as garotas encarnam personagens de histórias cotidianas de amor e tragédia, embaladas por músicas simples e bem acabadas pela produção de John. Uma das mais bacanas é “Quando 16”, em que um casal de adolescentes foge com o carro do pai dela, ao som de Jovem Guarda e power pop.

Sabe a descrição que o Orkut pede de um perfect first date? O refrão de “Aquele alguém” é uma boa: “Quando eu te vi, eu gostei de ti /Quando tu falou, meu mundo parou”. “Nanana” ainda tem os versos do dia seguinte: “Foi tão bom-bom, com você /se quiser mais-mais / tudo bem-bem, tudo ok /sim-sim, eu também”. Tudo cantado pelas meninas com um jeitinho doce de derreter o coração.

Outros temas mais pesados marcam as canções do Wonkavision. “Brinquedo” fala sobre uma ménage à trois, com direito a refrão em francês. “O plano mudou” conta a história de um suicida/psicopata e “Comprimidos” é um hino geração Prozac. As letras contrastam com os tchururus e as guitarras felizes. Juliana Zambelo, do site B*Scene, definiu bem o som dos Wonkas como “azedinho doce”.

Os moogs e vocais femininos lembram o Rentals, banda do ex-baixista do Weezer, Matt Sharp. As letras citam Fellini e Godard. Mas as músicas do Wonkavision estão longe de serem inacessíveis. Audições em casa do disco renderam os raros elogios dos meus pais: “Que bom, parece Celly Campello!”.

Para quem não está passando este verão com muito sol de praia e axé na cabeça, outra opção é emendar Sessão da Tarde com Malhação tomando sorvete e se deliciando ao som do Wonkavision, com suas melodias cativantes e fofinhas. Pronto, falei.

Meninos e meninas do Wonka, da esq.: Manu, Kiko, Grazi e Will

» leia/escreva comentários (0)