Busca

»»

Cadastro



»» enviar

O extra que virou filme

31.10.09

por Renné França

This is it

(EUA, 2009)

Dir.: Kenny Ortega

Princípio Ativo:
genialidade & necrofilia

receite essa matéria para um amigo

Confesso: bati os pés ao som das músicas durante a sessão de “This Is It”. Tudo bem, o filme é uma descarada tentativa de lucrar com a tal necrofilia da arte (ainda mais com o exaustivo anúncio de que ficará em cartaz por apenas duas semanas), mas as músicas são boas. Fato.

E Jackson é sim uma figura bizarra, com tantas polêmicas e processos nas costas que precisou fazer uma série de shows para ajudar a pagar as dívidas. Mas sua dança é realmente hipnotizante, por si só um efeito especial de última geração. O filme, que documenta os ensaios do que seriam seus últimos shows, é - apesar de durar um pouco mais do que o necessário - um carinhoso tributo ao cantor. Não espere referência alguma ao excesso de trabalho que o levaria à morte e muito menos revelações sobre seus escândalos e excentricidades. Aqui só se vê o artista, o showman que parece ter total controle sobre o que seu público espera. Se nunca gostou de Michael Jackson, nem tente assistir.

Basicamente, o documentário traz imagens das apresentações nos ensaios e um pouco de entrevistas de bastidores com a equipe. É até complicado fazer uma análise cinematográfica: “This is It” não foi concebido como filme, mas como making of do grandioso show do cantor. Apesar da eficiente edição de imagens, deve ser encarado como o que é: o registro de alguns ensaios que provavelmente viraria extra de um DVD.

Ao vermos Michael Jackson desfilar seus grandes sucessos, a partir dos vários ensaios diferentes fundidos em uma única apresentação, é praticamente impossível não se maravilhar com o talento e criatividade de uma pessoa que parece nascida para o palco. Chama a atenção os clipes feitos para passarem durante o show, que vão de uma nova versão para “Thriller” (agora com uma aranha gigante e em 3D) até um chatinho curta sobre preservação da natureza. O mais interessante é “Smooth Criminal”, que começa com uma clássica cena de “Gilda” para fazer uma deliciosa brincadeira com os filmes noir.

Beirando a edição brega de alguns vídeos de casamento em determinados momentos, “This is It” é uma declarada homenagem que buscar mostrar um pouco da personalidade gentil de uma figura enigmática (que o filme passa longe de tentar decifrar). A proposta parece ser vislumbrar o que um show - que nunca aconteceu - poderia ter sido. E é uma pena não podermos testemunhar este último concerto do cantor. A impressão que fica é a de que Michael Jackson iria mudar toda a nossa concepção de espetáculo. Mais uma vez.

Mais pílulas:
- A medicina e o monstro
- Shine a light
- Justice - A cross the universe
Navegue por todas as críticas do Pílula

Será que Michael traria o sexyback?

» leia/escreva comentários (1)