Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Além do virtual

23.03.10

por Núdia Fusco

Gorillaz - Plastic Beach

(2010)

Top 3: "White Flag", "Some Kind of Nature", "Plastic Beach".

Princípio Ativo:
Diversidade

receite essa matéria para um amigo

Quando o Gorillaz apareceu, no quase longínquo ano 2000, não foi difícil associar a banda à ideia de algo absolutamente original. Formada por 2D, Noodle, Murdoc e Russel, personagens virtuais com características pra lá de bizarras - o que dizer sobre uma guitarrista de 10 anos “adquirida” a partir de um anúncio de jornal, um baixista não muito adepto de higiene ou um baterista que, além de ser maior que o próprio instrumento, teria sido possuído por demônios ao longo de quatro anos? - o quarteto rapidamente caiu nas graças da crítica, graças à funcional mistura de elementos eletrônicos, indie music e quê de punk, resultando em algo bem puxado para o hip hop.

Encabeçado no mundo real por Damon Albarn, do Blur, e Jamie Hewlett, criador de Tank Girl, o grupo voltou à tona, após um período de silêncio, com o lançamento de Plastic Beach. Nesse terceiro trabalho, não bastasse a reconhecida competência dos músicos, a banda ganhou ainda a colaboração de pesos pesados como os ex-Clash Mick Jones e Paul Simonon (que, vale lembrar, já havia trabalhado com Albarn no projeto The Good, The Bad & The Queen), Mark E. Smith, Lou Reed, Snoop Dogg e Mos Def, entre outros. O que esperar, portanto, de um encontro tão plural? Algo conceitual, sim, com elementos orquestrados, surpreendentes, que ajudam a entender melhor o universo Gorillaz e a grandiosa proposta idealizada por seus criadores.

Plastic Beach soa melhor a partir da segunda audição, principalmente superado o (positivo) estranhamento que a faixa de abertura do álbum, "Orchestral Intro" (ft. Sinfonia ViVA), pode causar aos fãs da banda. E essa percepção vai aumentando conforme os acordes vão se repetindo e ficando impregnados na memória, ganhando mais força a cada vez que são executados.

"Stylo", o primeiro single trabalhado pelo grupo (cujo clipe, extremamente bem executado, rompe com a tradição exclusiva da animação e conta com a participação de Bruce Willis), perde facilmente o posto de música mais interessante do álbum, quando comparada com pérolas como "White Flag" (ft. Kano, Bashy & The Lebanese National Orchestra for Oriental Arabic Music), "Superfast Jellyfish" (ft. Gruff Rhys & De La Soul), "Some Kind of Nature" (ft. Lou Reed) ou, ainda, a faixa título "Plastic Beach", com Mick Jones e Paul Simonon.

De forma geral, Plastic Beach se assemelha aos álbuns anteriores em alguns aspectos, mas se distancia em ousadia e complexidade, dando novo impulso ao Gorillaz. As 16 músicas que compõem o trabalho funcionam de forma integrada, como se contassem uma única história, e devem cair logo no gosto do público, se não pela qualidade musical, ao menos em função dos grandes nomes que fazem parte do CD.

Desenhos cheios de stylo

» leia/escreva comentários (1)