Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Sobre como ler livros de história com o som no último volume

31.08.05

por Braulio Lorentz

Pitty - Anacrônico

(Deckdisc, 2005)

Top 3: “Déjà Vu”, “Brinquedo Torto” e “Na Sua Estante”.

Princípio Ativo:
Didática de primeira e muito peso

receite essa matéria para um amigo

Se eu fosse professor de história, tocaria Pitty para meus alunos adolescentes. Por causa da roqueira baiana, garotos e garotas entraram em contato com as idéias de “Leviatã”, escrito por Thomas Hobbes, “Admirável Mundo Novo”, de Aldous Huxley e até com as parábolas da Bíblia. Culpa do primeiro disco, Admirável Chip Novo, que emplacou sete hits nas paradas, ao menos quatro com citações explícitas creditadas a essas obras.

Também por causa de Pitty, muitos teens pegaram no dicionário para saber o significado da palavra ”Anacrônico”. Aprenderam ainda, meio sem querer, sobre um punhado de fatos históricos, como as bruxas queimadas a mando da inquisição no século XVII, caso do hard rock “Quem vai me queimar?”. “Fiz essa letra pensando nisso e também no papel da mulher na história, sempre sendo vista como a porta de entrada para o pecado”, explica. Além disso, a canção contém uma seqüência de palavras no imperativo como na faixa-título do CD de estréia, cuja letra aborda o consumismo. A pesada “Brinquedo Torto” é o destaque anticonsumismo da vez.

Outro déjà vu fica por conta da canção de mesmo nome. ”Déjà Vu”, única parceria com seu ex-guitarrista Peu, é uma balada certeira e parece ter saído de Admirável Chip Novo. ”Mas eu sinto que tô viva/ A cada banho de chuva/ Que chega molhando o meu corpo”, canta Pitty, com rouquidão digna de quem realmente tomou chuva. A música é mais uma lição de carpe diem para adolescentes. “Semana que vem” e “Temporal”, do álbum de 2003, haviam introduzido o assunto.

As palavras de ordem aglutinam fãs. Cada país com a Alanis Morissette que merece. As poucas faixas sobre amor, porém, não prejudicam a expansão da legião de admiradores. A exceção neste disco faz valer cada acorde. Embora menos açucarada, “Na Sua Estante” é tão boa quanto “Equalize”, dona das únicas sentenças de amor do primeiro disquinho. A nova balada é sobre uma pessoa na tentativa de esquecer outra: “E não adianta nem me procurar/ Em outros timbres, outros risos/ Eu estava aqui o tempo todo/ Só você não viu”.

Citar livros e ter boas intenções, no entanto, não é o bastante. Anacrônico foi masterizado em Los Angeles por Brian Gardner, que assinou obras de Queens Of The Stone Age e Foo Fighters. Pitty mantém o mesmo produtor da estréia, Rafael Ramos. Uma espécie de carta de intenções está na faixa-título, sem citar filósofo algum: “São outros rostos, outras vozes/ Interagindo e modificando você/ (...) Outras ambições/ Mais fortes, somadas com as anteriores”.

“This is such a pitty”

» leia/escreva comentários (28)