Busca

»»

Cadastro



»» enviar

“Don´t blink you might miss”

18.01.05

por Braulio Lorentz

The Killers - Hot Fuss

(Universal, 2004)

Top 3: “Mr. Brightside”, “On Top” e “All These Things That I've Done”

Princípio Ativo:
Zumbidos pop

receite essa matéria para um amigo

“Minha resistência a uma banda é diretamente proporcional à quantidade de propaganda”, resmunga Rodrigo Amarante. A frase foi dita pelo integrante do Los Hermanos em um Luau MTV de 1999, ao ser perguntado sobre as salvações do rock daquela safra. Na época, era uma referência ao quinteto nova-iorquino Strokes.

Neste verão de 2005, os escoceses do Franz Ferdinand foram uma motivação em potencial para a construção de frases de efeito do repertório de um roqueiro blasé. No verão do ano que vem, pode apostar, The Killers é a pedida ideal para sentenças desta sorte.

O quarteto de Las Vegas é incensado pela imprensa britânica (e, óbvio, pela do mundo todo) como tantas outras bandas que ecoam o pop produzido na década retrasada. Euforia à parte, é sempre bom, mesmo que involuntariamente, dar uma de Amarante e esperar a poeira baixar e o Grammy passar para ouvir este Hot Fuss. Explico: o disco de estréia do Killers tocou pela primeira vez no meu diskman dez meses após o lançamento nos Estados Unidos, em junho do ano passado.

E, você bem sabe, um mês no showbizz equivale a três anos e sete meses convencionais. Tanta efemeridade não é exagero, e confesso que este assunto aumenta minha saudade pelas aparições do Spin Doctors. E pensar que nos idos de 95 eles eram o nome certo para originar uma sentença como a do início deste texto.

Enfim, “Don´t blink you might miss (Não pisque, você pode perder)”, canta Brandon Flowers, vocalista do Killers, no dançante single "Somebody Told Me". A canção é também a dona de um refrão cheio de androgenia com os divertidos versos “Somebody told me/ You had a boyfriend/ Who looks like a girlfriend/ That I had in February of last year”.

“Indie Rock & Roll”, mesmo ficando de fora do disco, é outra das mais cativantes. “Glamorous/ Indie rock´n roll is what I need/ It´s in my soul, it´s what I need” são algumas das palavras de um dos b-sides mais espertos dos últimos seis anos do mundinho pop (equivalentes a 258 anos, de acordo com a convenção já mencionada). Se o indie rock fosse um país, não seria difícil escolher o hino.

Ao todo são 11 petardos repletos de ruídos que invadem com facilidade o nosso cérebro e lá permanecem por tempo indeterminado. “Smile Like You Mean It”, “Mr. Brightside”, “On Top” e “All These Things That I´ve Done” comprovam essa tese e ainda escancaram um sorriso nos admiradores de Duran Duran, New Order ou The Buggles, aqueles da deliciosa “Video Killed the Radio Star”. Então só nos resta aguardar, porque dizem por aí que as festas descoladas são perfeitinhas para o som deste tal de Killers.

Os quatro Killers: na bancada de apostas do pop descolado

» leia/escreva comentários (2)