Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Holiday X Arerê

09.12.05

por Rodrigo Ortega

Madonna - Confessions on a Dancefloor

(Warner, 2005)

Top 3: “Sorry”, “Hung Up”, “Get Together”

Princípio Ativo:
Music Non Stop

receite essa matéria para um amigo

Confessions On a Dancefloor é o álbum mais elogiado de Madonna desde Ray of Light (1998). A imprensa aprovou a disco music modernosa com boas melodias. As doze faixas são emendadas como um set de DJ, sem intervalo e sem balada para amenizar. Além da produção impecável, é preciso dar crédito à ousadia da cantora. O resultado poderia ter ficado cansativo, mas é empolgante.

É legal notar que Madonna tem fichas de sobra, mas não deixa de apostar. No Brasil ela encontrou uma inesperada adversária: Ivete Sangalo. O novo disco da baiana, As Super Novas, tem a mesma estética “neo-Embalos de Sábado a Noite” na capa. É um desafio para ver quem faz o público dançar mais. Segundo nota recente dos próprios fãs da Madonna (madonaonline.com.br), “Ivete continua bloqueando o primeiro lugar da paradas pela quinta semana consecutiva”.

Madonna tem armas para contra-atacar. A primeira é “Hung Up”. A canção conquistou a MTV e agora tem alvos móveis: é trilha da nova campanha da Motorola. O sintetizador propício para virar toque de celular e o verso “Ring, ring, ring goes the telefone” provam que Madonna pode ser um modelo de futilidade, mas não de bobeira.

O segundo ataque virá com “Sorry”. O refrão é daqueles que pegam do verão baiano ao inverno na Groenlândia. A música tem um tropeço no estilo do “Un, dos, tres, catorce!” de Bono Vox. A letra faz pedidos de desculpas em várias línguas. Em dinamarquês, Madonna troca a pronúncia de “Ik ben droevig” (“Estou triste”) por “Ik ben dronken” (“Estou bêbada”). Sejamos compreensivos: estar bêbado é sempre uma boa desculpa.

Algumas das armas seguintes podem ser “How High” ou “Get Together”. Na primeira, Madonna canta de maneira diferente, mais displicente. Vai ter gente achando que é a nova da Kyle Minogue. A outra é quase uma releitura de “One More Time”, megahit do Daft Punk. Grupos que revigoram a dance music são a grande referência do disco. Um dos produtores, Stuart Price, é integrante do duo Les Rhythmes Digitales.

O documentário I'm Gonna Tell You a Secret é o elemento surpresa do ataque de Madonna. O programa foi exibido pela BBC e gravado na turnê Re-Invention 2004, como uma sequência oficial do clássico Na Cama Com Madonna, de 1991. Não demora muito para Zeca Camargo e Glória Maria anunciarem “trechos exclusivos” para o público brasileiro. Aí Ivete Sangalo vai ter que rebolar de verdade.

A material girl e sua inesperada adversária

» leia/escreva comentários (10)