Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Capital e mais cinco C’s

20.02.06

por Rodrigo Ortega

Capital Inicial - MTV Especial: Aborto Elétrico

(SonyBMG, 2005)

Top 3: “Fátima”, “Música Urbana” e “Veraneio Vascaína”.

Princípio Ativo:
Passado punk

receite essa matéria para um amigo

Uma contradição: Este MTV Especial: Aborto Elétrico quer resgatar a história da banda que gerou a Legião Urbana e o Capital Inicial. Mas se existe uma faixa que não precisa ser resgatada, pois já é conhecida à exaustão pelo público brasileiro, é “Que país é esse?”, uma das músicas mais “toca Raul” de todos os tempos. A segunda música de trabalho do disco, que tem clipe super-básico com imagens de estúdio, é justamente “Que país é esse?”.

Uma coincidência: Apesar da boa produção, o CD é irregular e algumas das composições se destacam, como “Fátima”, “Música Urbana” e “Veraneio Vascaína”. As faixas legais são as mesmas que já tinham sido aproveitadas por Capital e Legião nos seus primeiros discos, ao contrário de “Love Song One” (o primeiro single) ou “Submissa”. As nove canções que permaneceram inéditas são as mais fraquinhas. Ou melhor, as nove canções permaneceram inéditas porque são as mais fraquinhas.

Uma confissão: Eu gosto do som do Capital Inicial. As guitarras estridentes e bripopescas me agradam. Para achar o disco legal, fiquei escutando as músicas antes de entrar o vocal, avaliando: “Estes poderiam ser começos de músicas do Ash?”. Poderiam, pois tanto os brasilienses quanto os britânicos fazem um punk amaciado e bem produzido. Mas confesso que este é um jeito muito bobo de escutar música.

Uma comparação: O Aborto Elétrico foi um pioneiro punk nacional. Porém, regravar suas músicas só mostra o quanto os amigos punk de hoje se levam menos a sério. Versos com protestos genéricos (“Desordem e regresso / eu não agüento mais”) ou romantismo angustiado (“Eu não consigo entender / porque eu quero você”) faziam sentido nos anos 80, mas ouvi-los hoje é bem menos divertido, por exemplo, do que ver o vocalista mineiro da Irônika com um moicano vermelho e afiado cantar “Foda-se a família brasileira tradicional” ou os cariocas do Carbona conquistarem as garotinhas com “Eu, você e seu husky siberiano”.

Uma certeza: A turnê do Capital Inicial / Aborto Elétrico começa em março. Dinho vai pular sem camisa e cantar meio agachado com mãozinha de rapper. Mas ele não vai conquistar o público jovem do Capital com versos do tipo “Estou cansado de ouvir falar / em Freud, Jung, Engels e Marx”, de “Conexão Amazônica”. Mesmo que o calor insuportável das últimas semanas diminua e eles aumentem ainda mais as guitarras, vai faltar frescor nos shows do Capital.

A camisa comunista reforça o passado punk. A pose garante jovens fãs.

» leia/escreva comentários (13)