Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Liminha Bonadio

09.03.06

por Rodrigo Ortega

Forfun - Teoria dinâmica gastativa

(Universal – Supermusic, 2005)

Top 3: “Seu Namorado é um Cuzão”, “Good Trip”, “Constelação Karina”.

Princípio Ativo:
Dinâmica

receite essa matéria para um amigo

d=vt. Você já deve ter escrito estas letrinhas em um papel escondido na manga da blusa de moletom ou no fundo do estojo. Na aula de física, o “d” é a “distância percorrida por um corpo”. O corpo aqui é a banda carioca Forfun. Eles repetem o movimento bem-sucedido de bandas como CPM 22 e Gram, que só foram para a MTV depois de conquistarem o público no meio independente. Os produtores esqueceram as alavancas e roldanas de Br’oz e Rouge e entenderam o segredo da variável d: “quanto menor a distância inicial do público, maior a energia potencial do estouro”.

O experiente produtor Liminha (Jota Quest, DJavan) apostou na Teoria Dinâmica Gastativa do Forfun depois de ouvir o disco independente Das Pistas de Skate às Pistas de Dança (2004), e ficou responsável pelo “vt”, de velocidade e tempo. O gráfico do tempo fez uma curva de ascensão imediata nos pontos garagem -> estúdio Nas Nuvens -> rádios. A velocidade é importante para uma banda de hardcore. Será que Liminha quis frear o 1,2,3,4 da banda? Parece que não: a soma peso + velocidade é alta.

“História de Verão” é o primeiro hit. Os jovens figurantes do clipe, que chegou no topo do Disk MTV, pulam em volta da banda como se estivessem em uma matinê de “Smells like teen spirit”. A música mais pesada do disco, “Mental Morfose”, tem riffs que a credenciam para a trilha do próximo vídeo. Outra possível faixa de trabalho, que chama atenção também pela letra, é “Seu namorado é um cuzão”.

Um grande trunfo do Forfun é a espontaneidade dos versos. “São letras precárias, de temática adolescente e muitos palavrões”, definiu o repórter da Folha de S. Paulo Luiz Fernando Vianna. “São temas de um jovem comum, com palavrões sem agressividade forçada, mas que não agradam jornalistas “sérios” como o da Folha, que ainda reclamou das mensagens em internetês no fotolog da banda (“amu vcs”)”, definiu o repórter do Pílula Pop eu.

A banda troca a choradeira emo (“Eu quero tanto de fazer sorrir”, canta Rodrigo em “Costa Verde”) por histórias mais comuns (“As mulezinha doidona dando pala / A playboyzada enchendo o cu de bala”, canta em “Good Trip”). A letra de “VIP (very important porquê?)” levou a uma saia-justa quando MTV sorteou ingressos “vips” para um show do Forfun. “Ficaremos contentes se o amigo ganhador dessa promoção for curtir o show no meio da massa”, anunciou a banda em seu fotolog.

À parte de polêmicas bobas fica a sinceridade desconcertante que lembra o Weezer de Pinkerton em “Cara esperto” (“Garotas ligando e correndo atrás / já não me satisfazem mais”) e a melodia arrastada com um belo refrão que lembram o Weezer de Make Believe em “Constelação Karina”. Eu amu essa música.

a t oria dux mininux do forfun deu certu

» leia/escreva comentários (25)