Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Perigo irreal e repetido

10.03.06

por Daniel Oliveira

Firewall - Segurança em risco

(Firewall, EUA, 2006)

Dir.: Richard Loncraine
Elenco: Harrison Ford, Paul Bettany, Virginia Madsen, Mary Lynn Rajskub

Princípio Ativo:
Harrison Ford

receite essa matéria para um amigo

Melhor pode falar sobre um filme quem o realizou? Pensando nisso, e adicionando um pouco de sinceridade (ok, muita), imagino o que os envolvidos em “Firewall – segurança em risco” diriam nas press junkets de divulgação:

Harrison Ford: “Logo que vi o roteiro, me interessei pelo papel. Tinha até o mesmo nome de outro personagem meu, Jack. Cara durão, mas preza a família acima de tudo e, quando mexem com ela, vira um bicho. I mean, eu só tinha que fazer careta de bravo e dizer ‘se você tocar neles de novo, eu te mato’. Já fiz isso várias vezes, you know...só que desta vez, eu falava e o cara continuava me sacaneando, parecia que ninguém me levava a sério...I mean, you know?” (risos)

Richard Loncraine: “Óbvio que o filme é mais uma versão do sujeito inocente incriminado injustamente. Mas eu pensei: ‘hey man, se o Hitchcock pode fazer, por que eu não posso?’ I mean, já é uma fórmula desgastada e ninguém precisava fazer outro, mas acrescentamos elementos contemporâneos, you know: redes de segurança, GPS, fotos no celular o tempo todo e tem até um iPod, cara! I mean, é genial...”

Harrison Ford: iPod? Ah, é bonito, rosa... acho que ele usa aquilo para roubar o banco porque o lembra da filha dele, you know, dá uma dimensão emocional para o personagem na cena...

Paul Bettany:Man, eu topei fazer esse filme porque... I mean, eu sempre fiz o cara legal, o coadjuvante. Agüentei o Russell Crowe em dois filmes, sabe o que é isso? Dois! Meu personagem nem existia em ‘Uma mente brilhante’. E eles nem me deram um Oscar. Nada de protagonistas. Então, eu decidi ser mau...I mean, vou ser o vilão: sacanear mocinho em tudo quanto é blockbuster descerebrado e fazer muita grana sendo mau, you know, neste ‘Firewall’ e depois n’O código da Vinci’ também.”

Mary Lynn Rajskub: “Li aquilo e pensei: ‘uau, é o mesmo papel que eu faço em 24 horas’! É a secretária inteligente e mal humorada. Não teria que fazer esforço nenhum e me daria status, tipo ‘eu faço cinema and all’. Mas, I mean, 24 horas é bem melhor...”

Richard Loncraine: “Roteiro? Man, a gente tinha Harrison Ford, ’O’ astro! Identificação imediata! A gente não se preocupou com verossimilhança, criatividade. Era botar Ford e...you know, funcionava...I mean, a cena em que ele planeja a fuga da família é minha preferida! Era tanta tensão...é muito boa!”

Harrison Ford:I mean, é a velha história do homem comum confrontado por uma situação de risco, que já foi feito exaustivamente, inclusive por mim. Mas o público gosta e... you know, eu tenho que pagar as contas enquanto os caras não resolvem fazer ‘Indy 4’”.

Ford. explosões e a cara de ‘não toque na minha família!’

» leia/escreva comentários (4)