Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Cheios de graça

10.03.06

por Braulio Lorentz

Fall Out Boy - From Under the Cork Tree

(Universal, 2006)

Top 3: “Sugar, We're Going Down”, “Nobody Puts Baby in the Corner” e “A Little Less Sixteen Candles...”.

Princípio Ativo:
Nomes gigantes de música

receite essa matéria para um amigo

Se não contarmos as boazinhas canções e o bonzinho humor, outras credenciais colocam o Fall Out Boy na mídia. O baixista e letrista Pete Wentz divide seu tempo entre suas letras, seu baixo e sua namoradinha, Ashlee Simpson. A relação com os Simpson não para por aí. O nome da banda de Pete é o mesmo do herói preferido de Bart Simpson. Sem explorar a fama do flerte, o Fall Out Boy não convidou Ahslee para participar deste disco de nome engraçadinho, o segundo da carreira. From Under the Cork Tree, se você não reparou, tem iniciais que formam a expressão “Fuckt”, corruptela de “Fuck It”. Ha, ha, ha, ha? “Ha, Ha” está de bom tamanho.

A banda conta piadinhas, mas fatura estatuetas também, como a do Vídeo Music Awards 2005. Na premiação da MTV, o quarteto de Chicago levou o prêmio dedicado às bandas alternativas: o clipe “Sugar, We’re Going Down” ganhou na categoria da MTV2. O videoclipe conta a história de um moço com chifres de veado e tem um final surpreendente e engraçadinho. Ha, ha? Não, desta vez é “Ha, ha, ha, ha” com méritos. De quebra, eles foram indicados como revelação no Grammy 2005.

As letras e os títulos são da mesma forma responsáveis por dezenas de “ha’s”. Na melhor do disco, a já citada “Sugar, We're Going Down”, o vocalista Patrick Stumph (sempre com seu chapéu no cocuruto) canta: “Eu sou um entalhe no pé da sua cama/ Mas você é só uma linha na canção”. “A Little Less Sixteen Candles, A Little More ‘touch me’” parece balada do Counting Crows, só que mais gritada e com os mesmos apetrechos das demais canções do Fall Out Boy. Paradinhas estão em quase todas músicas: os instrumentos somem e voltam em questão de segundos.

O pop punk de “Nobody Puts Baby in the Corner”, pintada com cores de Blink 182, vem logo antes da seriedade nickelbackiana de “I´ve Got a Dark Alley And a Bad Idea That”. “Of All the Gin Joints in All the World” faz os precipitados colocarem a banda no balaio dos emos. “Dance, Dance” tira os caras do balaio e muda a banda de país. A faixa parece ter sido gravada por um grupo da Suécia, o Hellacopters. É nesta faixa que o baixo de Pete fala mais grosso.

“Eu dormi com alguém do Fall Out Boy e tudo que eu ganhei foi uma canção estúpida que eles escreveram sobre mim” e “Nosso advogado nos mandou trocar o nome desta música e a gente não queria ser processado” são outros exemplos (traduzidos) de títulos gigantes, e engraçadinhos. O engraçado é que foram os nomes quilométricos das músicas do Fall Out Boy que me fizeram ter vontade de ouvi-las. Com a exceção do “Top 3” e mais duas ou três, o resto não tem muita graça.

Pete e Patrick são os dois primeiros, se fosse a Ashlee ficaria com o de bonezinho

» leia/escreva comentários (40)