Busca

Cadastro



enviar

Oito a Oitenta

20.03.06

por Rodrigo Ortega

Jack Johnson - Sing-A-Longs and Lullabies From the Movie Curious George

(Universal, 2006)

Top 3: “Upside down”, “Lullaby”, “Talk of the town”

Princpio Ativo:
A pessoa certa no disco certo.

receite essa matéria para um amigo

Convenhamos, Jack Johnson é um cara legal. Suas músicas são no mínimo agradáveis. O que não cola é sua filosofia zen-surfista, no mínimo inocente. Eis que um produtor teve a idéia certeira de chamá-lo para fazer a trilha da animação infantil "Curious George", que estreou nos EUA em fevereiro e tem vozes de Drew Barrymore e Will Ferrel. Problema resolvido: o hakuna matata se tornou coerente. O ouvinte padrão não é mais aquele que "toma banho de cachu, curte um visu e fuma um basê". Agora é o menino de oito anos que adora uma pipoquinha com guaraná junto dos amigos.

O disco repete o fenômeno recente de filmes como Shrek e Os Incríveis, obras supostamente infantis que conquistaram também os adultos. Sing-A-Longs and Lullabies From the Movie Curious George é o primeiro álbum de Jack Johnson a chegar ao topo da parada da Billboard. Versos simples e bem sacados, percussões e pianinhos dão o tom das músicas. “Upside Down”, a primeira faixa de trabalho, é mesmo irresistível.

Apesar de provavelmente nem o próprio cantor ter imaginado o estouro, o sucesso tem seus precedentes: esta é a quarta trilha assinada por Johnson, que estudou cinema para fazer filmes de surfe. Além disso, Jack Johnson tem sua carreira consolidada com uma imagem que se encaixa bem nos versos que acompanham as aventuras de um macaquinho na floresta, como “Vamos cantar e dançar canções da mãe natureza”, de “Upside Down”.

É legal brincar de achar as faixas “para agradar os adultos no rádio” e aquelas “para animar a criançada no filme”. “Broken” e “Talk of the town” são sutis demais para os pimpolhos, mas têm potencial para cativar qualquer um com mais de um dígito na idade. Já a gaita de “Jungle Gym” e os coros infantis de “The sharing song” e “The 3 R’s” devem bombar nas festinhas infantis. O legal é que as letras politicamente corretas, que seriam chatas em outro contexto, ficam fofinhas. “Reduzir, reutilizar, reciclar”, ensina o tio Jack em “The 3 R’s”.

Há também as que fazem os dois papéis. “Lullaby” e “We’re going to be friends” servem para os nenês dormirem e para os pais namorarem. A segunda, cover dos White Stripes, é um belo meio termo entre “Blackbird” e “I feel fine”, dos Beatles. “With my own two hands”, com participação de Ben Harper exagera no ímpeto educativo: ”Eu vou ajudar a raça humana / com minhas próprias mãos”. Mesmo assim, gostei tanto do disco que não vou dispensar um “vamos mamãe” quando o filme sair no Brasil.

Jack satisfeito com o número um na Billboard

leia/escreva comentários (9)