Busca

»»

Cadastro



»» enviar

O Trash e o Ploc

20.03.06

por Rodrigo Campanella

Anjos da Noite - A Evolução

(Underworld: Evolution, EUA/2006)

Dir.: Len Wiseman
Elenco: Kate Beckinsale, Scott Speedman, Tony Curran, Derek Jacobi

Princípio Ativo:
it´s very over, baby

receite essa matéria para um amigo

Arriscar comprar um ingresso para essa continuação de “Anjos da Noite” e esperar um filme ‘sério’ é algo sem fundamento. A proposta de parque de diversões está clara até nos cartazes. Mas diversão não descarta coisas como boas idéias e bom senso. Siga o guia para a atração, por idade.

7 a 10 anos: Sinceramente, você não precisa ver isso. A idéia de um quebra-pau entre vampiros e lobisomens é divertida, mas o resultado nem tanto. E não se engane pela trilha sonora pomposa (você sabe o que é isso?) que pode fazer lembrar um Senhor dos Anéis ou um Harry Potter. Ela é o sintoma de um filme que se acha mais importante do que é, sabe como?

11 a 15 anos: Possivelmente você vai gostar. Em primeiro, porque ele tenta ganhar dinheiro em cima da onda de vampiros e licantropos que tomou os RPG´s de mesa e ainda fazem sucesso. Depois, porque é a melhor oportunidade de experimentar videogame numa tela gigantesca. O filme se divide em blocos de porrada e fragmentos de história, lembrando fases de um jogo, com direito a combo de ação no final. A história é pior que uma sessão mixuruca de “Vampiro: A Máscara”, mas fazer o quê.

16 a 19 anos: Você viu os Matrix e vai se incomodar com o cheiro de cópia. Você também viu o primeiro filme e vai se lembrar dos detalhes para não se perder aqui. Direção e produção parecem ter pensado que basta um tom metálico-alguma-cor e os saltos em slow motion da Trinity para fazer um filme chique. Mas os efeitos visuais e as cenas de ação melhoraram, ainda que isso não salve tudo. Tenha medo.

20 a 30 anos: Onde mais você vai ver vampiros vestindo Armani e lobisomens num look selvagem Dolce & Gabbana? E aquelas atuações de curso à distância de interpretação, meu deus...

30 em diante: Mesmo com bichos-papões interessantes e doses de tensão maiores que a safra atual de filmes de medo, a grande diversão aqui é o excesso. Anjos da Noite 2 poderia tranqüilamente passar no telão de uma Festa Ploc anos 80 sem fazer feio. Personagens de papelão, visual exagerado de tanto querer ser legal e história cheia de furos (por quê diabos ele demorou tanto para libertar o irmão? Poderes ilimitados?!) acabam rendendo algo engraçado de verdade, mas um pouco cansativo. Dá até pra pensar que foi de propósito – e seria realmente bacana se fosse.

Apesar de melhor que o primeiro, Anjos 2 cai no erro de achar que é uma ‘saga’, quando parece mais o filme tímido que resolveu beber todas e barbarizar para ser respeitado. Seria melhor ter resolvido a ressaca interior antes de sair de casa.

Havia dez fotos dela com uma arma na mão e todas
pareciam iguais. Foi só escolher a primeira..

» leia/escreva comentários (20)