Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Um garoto com o coração não tão partido

12.11.07

por Thiago Vetromille

Antes só que mal casado

(The Heartbreak Kid, EUA, 2007)

Dir.: Bobby Farrelly e Peter Farrelly
Elenco: Ben Stiller, Michelle Monaghan, Jerry Stiller, Malin Akerman, Rob Coddry

Princípio Ativo:
Velho Stiller e piadas de sempre

receite essa matéria para um amigo

Quem nunca teve medo de uma loira linda e de olhos verdes?

É a questão deste “Antes só do que mal casado”. A aparentemente perfeita Lila, interpretada por Malin Akerman, casa-se com Eddie Cantrow, personagem de Ben Stiller. Aos poucos, ela se transforma numa louca ciumenta, cheia de segredos escusos e que intimida o marido na cama.

Essa mutação e a eterna imaturidade do protagonista o levam a se apaixonar por Miranda, interpretada por Michelle Monaghan (Missão: Impossível III). E o enredo do filme coloca o velho Stiller se metendo em confusões para tentar trocar a esposa por sua recém adquirida paixão, numa atualização de “Heartbreak kid” de 1972. Os envolvidos afirmam ‘não ser uma refilmagem, mas sim um filme diferente’.

O problema é que Ben Stiller parece não saber mais fazer outro papel. E não que seja um personagem particularmente desafiador para qualquer ator, mas as atuações dele já foram melhores. Em compensação, Malin Akerman está ótima como a tresloucada Lila, que passa de mulher perfeita a perfeito desastre.

Outros dois personagens são também muito bons, apesar de aparecerem pouco. Doc, pai de Eddie Cantrow, é interpretado pelo pai de Ben na vida real, Jerry Stiller (The King Of Queens). E Mac, um amigo de Eddie dominado pela esposa, caiu nas mãos do pouco conhecido Rob Coddry (Escorregando para Glória). Se o filme fosse sobre as excursões do pai de Cantrow a Las Vegas ou as tentativas de Mac de escapar da esposa, o termômetro ali em cima estaria bem mais animado.

O longa ainda merece destaque pela trilha sonora, especialmente na escolha da cantora Julieta Venegas. A faixa Cancciones de amor do seu CD “Limon y sal” é usada para receber o casal Cantrow no México e permanece no filme durante um tempo - suficiente para dar um gostinho do talento da moça. E por tentar escapar dos clichês do gênero - até no final, que arruma espaço para uma piadinha com a participação de uma das Donas-de-Casa Desesperadas.

“Antes só do que mal casado” é uma agradável supresa. Ao entrar no cinema para assistí-lo, achei que não conseguia mais rir de comédias românticas/besteirol, mas o filme dos irmãos Farrelly (criadores de “Eu, Eu mesmo e Irene” e “Quem vai ficar com Mary”) conseguiu quebrar a barreira. Em alguns momentos, ele se torna um pastelão, principalmente na cena da água viva, mas fora isso, as piadas são bem colocadas. Pena que, assim como o dèjá vu das caretas e idiossincrasias do sempre-idiota-Stiller, você já teve a chance de vê-las todas antes, no trailer.

Mais pílulas:
Com a bola toda
Licença para casar
A sogra

O jeitoso Stiller, a louca Akerman e o carinho nosso de cada dia.

» leia/escreva comentários (0)