Busca

»»

Cadastro



»» enviar

A melhor banda do (seu próprio) mundo

26.11.07

por Rodrigo Ortega

The Hives - The Black And White Album

(Interscope, 2007)

Top 3: “Tick Tick Boom”, “It won’t be long”, “T.H.E.H.I.V.E.S.”.

Princípio Ativo:
Impertinência

receite essa matéria para um amigo

É boa a piada daqueles suecos de cabelos pretos (alguma coisa estava errada desde o começo) que aparecem de repente fazendo barulho com um visual de quem está comandando o palco de um baile de debutante da família real. O fato de eles encararem o fim do fator surpresa com os ternos cada vez mais alinhados e o sinal da vitória na capa do álbum deixa tudo mais claro: os Hives realmente querem ser a melhor banda do planeta, mas não fazem a mínima questão de saberem em que planeta estão. Tanto que The Black And White Album, novo disco dos caras, quase saiu com o sensacional nome The World's First Perfect Album.

Os Hives são uma banda cinematográfica, principalmente pela preocupação com o visual e pela atuação psicótica-nonsense do vocalista Howlin' Pelle Almqvist. Mas ao contrário do Radiohead, que são um filme “não entendi, mas gostei”, os suecos seriam um Zé do Caixão ou uma Sessão da Tarde das boas. O primeiro single do disco, “Tick Tick Boom”, não existe na minha cabeça sem a imagem de uma garota de cabelos esvoaçantes correndo desesperada num cenário em cromaqui com um monstro tosco no fundo.

Mas Black And White Album já não é uma obra de diretor iniciante. O ritmo é bem menos frenético do que os dois primeiros discos, Barely Legal (1997) e Veni Vidi Vicious (1999), e segue o pé no freio e as curvas mais ousadas de Tyrannosaurus Hives (2004). A colaboração com Timbaland, que gerou o single “Throw it on me” no ano passado, acabou não rendendo frutos neste disco, mas pra compensar duas faixas foram produzidas por Pharrell “Beautiful, I just want you to know, you’re my favourite giiirrl” Williams.

“It won’t be long” e “T.H.E.H.I.V.E.S.”, uma das músicas produzidas por Pharrell, são os melhores momentos do disco, junto com o já citado single. A primeira é uma jóia pop sem abandonar o espírito roqueiro da banda. A segunda é a canção mais hilária do ano, uma livre interpretação da onda disco-punk pelos suecos. “We rule the world / This is our world”, eles dizem no refrão, antes de entrar uma voz do além soletrando o nome da banda. Os Hives são o Jay-Z ou o 50 Cent de um outro planeta.

Já “Giddy Up” seria o novo single de uma versão extraterrestre de Gwen Stefani. Esse tipo de faixa diverte e ainda refresca a cabeça para músicas mais Hives-old-school. Nesses momentos, como em “Hey little world” e “Square one here i come”, Pelle Almqvist está parando um pouco mais para respirar, deixando as músicas com um gostinho meio hard-rock ou (foi mal) Kiss. Mas calma, são músicas legais também. Pelo menos no meu mundo.

Iarrul

» leia/escreva comentários (4)