A poesia é a vida

Viver, realmente, é algo bem complexo. Nossa vida é um punhado de momentos que machucam, nos deixam tristes, fragmentados, exaustos. Mas, em contrapartida, são as diversas experiências que nos trazem maturidade e nos fazem crescer. Independentemente se essa maturidade venha com a flexibilidade de uma personalidade que aceita mais as mudanças, ou se mostra um muro e uma armadura de frieza que vai fechá-la num domo. Individualmente cada um entende a vida de um jeito. Mas é inegável: todos que vivem estão propensos a se machucar. E é exatamente sobre dores que Mario Cau vem conversar em Pieces: Parte de Mim.

O pedaço que falta

Pieces: Parte de Mim é uma HQ sobre a vida. O projeto em si começou em 2004, após Mario Cau passar por forte rompimento sentimental, percebendo que as histórias que de fato ele queria contar eram bem diferentes das ilustrações e quadrinhos de super-heróis que ele costumava fazer. Mario Cau percebeu que ele queria falar sobre a vida. Pequenos momentos que são pedaços de vida urbana, relacionamentos, a falta deles e o simples dia a dia.

Justamente aquela simplicidade que nos identificamos por já ter vivido. Simplicidade essa que torna a vida tão poética. Tão lírica.

Desde então, Mario Cau foi produzindo histórias curtas. Falando sobre esses cotidianos melancólicos. Essas histórias foram publicadas em três edições em uma série independente em 2009 e 2010, separadamente em outras antologias e internet e, mais recentemente, em um álbum lançado em 2016 chamado Pieces: Parte do Todo.

Então, em 2019 para comemorar os 15 anos de aniversário da série e os 10 anos da primeira publicação de Pieces, Mario Cau começa um projeto que compila todas as histórias antigas, tanto as publicadas nas três edições antigas de Pieces como nas espalhadas por diversas publicações, além de um material inédito que mostra que um poema bem sentido nunca envelhece, só se renova.

Tal qual a vida, aliás.

Um poema em desenhos

Em Pieces não há um protagonista. Não pelo menos se você está procurando uma pessoa. As vezes, um personagem ou outro reaparece, dando aquela sensação de acaso. Como encontrar a mesma pessoa diariamente no transporte público, ou na fila do supermercado perto de casa. O rosto do próprio Mario Cau é reconhecido em alguns personagens, mas também não procure uma biografia. Porque não é. Mas mesmo se for, não é esse o ponto.

O ponto de Pieces é mostrar que dentro de momentos melancólicos existe beleza, existe poesia. Há tempos ouvi que um poeta consegue extrair os sentimentos de dentro do peito justamente porque ele trabalha com essa melancolia que vai e volta. E sabendo disso, Mario Cau transforma seus desenhos e roteiros em poemas. Tem rima, tem ritmo, tem lirismo. E emociona.

Por isso, a protagonista dessa série de história é a vida. É cada situação que o ato de viver nos traz. Cada coração partido que parece o fim do mundo (e realmente é um fim de um mundo, mas também o recomeço de outro), cada choro não contido, cada tristeza afogada em álcool, cada saudade.

E por falar em saudade…

Um quebra-cabeça completo

Ler Pieces: Parte de Mim agora, depois de mais de um ano de pandemia, com o país de pernas para o ar e confrontando com tanta intensidade o aspecto egoísta das pessoas, ganha um gosto triste diferente. Sabe, daquela tristeza que fica no meio da garganta, entalada como um novelo de lã?

Porque ver o cotidiano de Pieces é ver algo que parece tão distante. E mesmo se você não é o tipo de pessoa que respeita a pandemia, que continua curtindo bares, se relacionando, saindo, é difícil admitir que tudo já voltou ao normal. Mas as máscaras e as manchetes nos jornais pendurados nas bancas podem te lembrar que a pandemia ainda existe.

Então, Pieces não se torna só um pedaço do cotidiano, mas um pedaço do passado. Hoje há outras tristezas, existem outras preocupações. Mas essas novas não substituem as antigas da vida, elas somam.

Fico pensando, quando tudo realmente estiver normalizado, sem vírus, com a população vacinada, quais serão os novos pedações que vão faltar em nossa vida.

Tico Pedrosa é publicitário, roteirista, escritor, professor e criador de conteúdo. Fã de quadrinho desde sempre. Você pode conferir as ideias dele no instagram e twitter.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • A gente
  • Home
  • Retro
  • Homeopatia
  • Overdose
  • Plantão
  • Receituário
  • Ressonância
  • Sem categoria
  • 2021
  • 2020
  • 2019
  • 2018
  • 2017
  • 2016
  • 2015
  • 2014
  • 2013
  • 2012
  • 2011
  • 2010