Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Ira!

por Braulio Lorentz

receite essa matéria para um amigo


A habilidade é a mesma,
mas os cabelos...
Se o Ira! fosse um filme, a sinopse seria mais ou menos assim: “Dois amigos de colégio se vestiam da mesma forma e ouviam bandas de punk rock, no final dos anos setenta”. O guitarrista Edgard Scandurra tocava na banda Subúrbio, quando convidou o vocalista Nasi para participar de um festival do tal colégio onde se conheceram, o Objetivo, de São Paulo. Eles já tinham até um hit, “Pobre Paulista”. A canção estaria presente, em 82, no primeiro compacto do Ira, ainda sem ponto de exclamação.

Em 80, Edgard é convocado para servir o exército. O fato rende outro hit, “Núcleo Base”, que entraria no primeiro LP, Mudança de Comportamento, de 85. Nasi retribui, então, o convite do início deste texto e chama Edgar para tocar em um show da PUC-SP. Surgia, em 81, a banda com nome inspirado no Exército Republicano Irlandês. O baterista Fábio Scatone e o baixista Adilson durariam pouco tempo: Charles Gavin, do Titãs, assume as baquetas e Dino, ex-Subúrbio, o baixo. Em 85, Dino é trocado por Ricardo Gaspa. Charles Gavin vai pro Titãs e o ex-titã André Jung compõe a formação definitiva do Ira!, já com ponto de exclamação.

O segundo LP, Vivendo e Não Aprendendo, de 86, traz “Envelheço na Cidade”, maior sucesso da banda. “Flores em Você” vira trilha sonora da novela global “O Outro” e as 200 mil cópias vendidas se tornam marca imbatível pro Ira!. A idéia de que Scandurra é o melhor guitarrista do país surge quando a revista Bizz aponta o virtuoso canhoto, famoso por não inverter as cordas da guitarra, como o melhor do rock brasileiro. Perto da criação desse mito, nasce o disco Psicoacústica. As oito experimentais faixas passam a ser a obra cult do Ira!.

Entre um álbum eletrônico-solo de Scandurra e outro, o Ira! grava Clandestino, Meninos da Rua Paulo, Música Calma para Pessoas Nervosas, 7 e Você Não Sabe Quem Eu Sou. Em 99, lançam a coletânea Isso é Amor. Em comemoração aos vinte anos de carreira, gravam o Ao Vivo MTV, de 2000. Ainda no clima de festa a banda toca no Rock In Rio III. Entre Seus Rins é lançado em 2001 e a banda volta à mídia com o Acústico MTV, de 2004.

Com a ajuda da baiana Pitty, o Ira! ganha sua primeira estatueta no Vídeo Music Brasil, 20 anos após o lançamento de seu primeiro disco. O quarteto paulista se deu bem na categoria “Melhor gravação ao vivo”, com “Eu quero sempre mais”, sucesso do álbum acústico. Desde seu segundo disco, o Ira! não ia tão bem nas paradas. É a MTV ressuscitando o pop nacional, como já o fez com Capital Inicial e Titãs, em outros acústicos não muito distantes. A favor do Ira! está a coerência maior do que se costuma ter. A banda não mudou sua formação, não gravou dois álbuns acústicos e Nasi não é um vocalista mala que pensa que tem 15 anos.

Tomara que eles não emendem um Acústico II
e calem minha boca...
Discografia
  • Acústico MTV - 2004
  • Entre seus rins - 2001
  • MTV Ao vivo - 2000
  • Isso é Amor - 1999
  • Você não sabe quem eu sou - 1998
  • 7 - 1996
  • Músicas calmas para pessoas nervosas - 1993
  • Meninos da Rua Paulo - 1991
  • Clandestino - 1990
  • Psicoacústica - 1988
  • Vivendo e não aprendendo - 1986
  • Mudança de comportamento - 1985

» leia/escreva comentários (4)