Busca

Cadastro



enviar

receite essa matéria para um amigo

Érika Martins & Os Telecats ao vivo, A Obra, 16/02/06

por Braulio Lorentz

Fotos: Braulio Lorentz e Rodrigo Ortega


Érika Martins balança o cabelo

“Não é o que parece”

Érika é paulista, mas morou em Salvador, onde montou sua primeira banda, chamada Penélope. Por conta disso, há quem afirme que ela é baiana. Entretanto, a residência da moça atualmente é no Rio de Janeiro. E para citar mais uma cidade, este texto é sobre um show em Belo Horizonte, no bar A Obra. Era uma quente noite promovida pelo programa Alto-falante, com abertura da banda local Carolina Diz.

“Uh Rá Uh Rá Uh”

É natural então que Érika Martins & Os Telecats tenham tocado uma canção de uma banda carioca (“Kung Fu”, do Acabou La Tequila) e uma de um grupo baiano (“Nada sem você”, do Los Canos). Longe de serem versões, as duas músicas são parte integrante do novo repertório da guitarrista e vocalista Érika. Versões mesmo foram as em inglês. “Do you wanna dance” e “She loves you” encaixaram bem no setlist.


Érika Martins faz uma carinha de concentração

“Não sou nada sem vocês”

Ela aproveitou “Nada sem você” para emendar um “E nós não somos absolutamente nada sem vocês”, que coube direitinho na letra, e apresentar o Telecats: Bjørn Hovland na guitarra, Carla Kieling no baixo e Márcio Ribeiro na bateria. Érika realmente não é nada sem o público, tanto que pediu a ajuda de um fã para afinar sua guitarra.

“Aquele tempo bom que já passou”

“Cansada do estilo da Penélope”, como ela mesma nos disse, Érika e sua nova banda entregam canções com refrões floridos e cantaroláveis. Mesmo com esse clima de tchau, foi muito bem vinda a inclusão de canções dos tempos de Penélope como “Namorinho de Portão”, escrita por Tom Zé.


Érika Martins abre os braços

“Ao menos uma vez, melhor se fossem três”

A candidata a sucesso “Sacarina” tem sacadas de arrancar sorriso de canto de boca. A banda aumentou o cheiro de chiclete no recinto e tocou duas vezes “Kung Fu” e “Sacarina”. Melhor se fossem três. “A mais pedida”, dos Raimundos, foi uma espécie de cartão de visitas distribuído no show. É rápida a associação quando se diz que Érika é a menina que canta nesta famosa canção.

“Eu te adoro tanto, você não imagina quanto”

As predileções atuais da moça citadas em bate-papo após o show são cariocas: “Nervoso, Canastra, Carbona”. A também carioca Autoramas é uma influência de casa, já que Érika é casada com o líder da banda, Gabriel Thomaz. “Música de amor”, composta pelo casal, está no disco Nada Pode Parar o Autoramas, e esteve neste show. Mais um chicletinho muito do bom de se mastigar ou assoviar.

leia/escreva comentários (8)