Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Três etapas para superar um rompimento

01.11.05

por José Olavo

Charlie Brown Jr. - Imunidade Musical

(EMI, 2005)

“É Quente”, “Lutar pelo que é meu” e “Ela Vai Voltar”.

Princípio Ativo:
Rick Bonadio

receite essa matéria para um amigo

“Não devemos nos ver mais”

Foi o que Marcão (guitarra), Champignon (baixo) e Pelado (bateria) disseram para o vocalista Chorão após o lançamento de Tamo Aí Na Atividade (2004), sétimo disco do Charlie Brown Jr. Eles alegaram diferenças musicais e financeiras. Há boatos sobre um suposto “mensalão do Chorão”, o que é engraçado. Mas vamos nos concentrar na música.

Chorão ficou com o nome Charlie Brown Jr. e lança agora Imunidade Musical. Ele recebeu no Faustão disco de platina por 125 mil cópias vendidas. A primeira música de trabalho é “Lutar pelo que é meu”, com melodia e versos típicos do velho Charlie Brown: “O melhor presente Deus me deu / a vida me ensinou a lutar pelo que é meu”. O clipe já rola na MTV e deve chegar fácil ao topo do Disk.

“Vamos encontrar outras pessoas”

Chorão encontrou Thiago Castanho (guitarra), Pingüim (bateria) e Heitor Gomes (baixo), banda tão competente quanto a anterior. Eles comprovam isso em “O Nosso Blues”, com levada funkeada e solos fodas. Mas Heitor tem um estilo muito parecido com o de Champignon, o que faz lembrar um episódio do seriado Seinfield em que os personagens encontram seus correspondentes no “mundo bizarro”. Champs não sai fácil do coração dos fãs.

Para a produção eles não encontraram outras pessoas. Continuam com o todo-poderoso Rick Bonadio (Leela, KLB, CPM 22), que agora também é empresário da banda. Ele calibra bem a vibe de cada música. Quando o disco é pesado, é muito pesado (“No passo a passo”, “Criando Anticorpos”). Mas as baladas são as mais sussa da história da banda, como “Dias de luta, dias de glória” e “Ela Vai Voltar”, com um inusitado piano e grande chance de invadir as rádios.

“Vai ser melhor para nós dois”

O que faz o final feliz é o fato de Imunidade Musical ser muito melhor que Tamo Aí Na Atividade. O vocal funk e as guitarras pesadas de “É Quente” são grandes promessas para este verão. Chorão não é bobo e se promove bem. Não é à toa que ele fala “skate vibration” em quase todas as músicas: este é o nome do DVD que a banda vai lançar em breve.

Dava para cortar algumas das 23 faixas do CD, como a cover de “Para não dizer que não falei de flores”, que parece feita para minha mãe, ou pior, minha professora de história. Mas em geral Chorão manda bem. Isto não significa que a turma antiga era ruim. A nova banda do Champignon, Revolucionnários, está com uma música irada no seu site, “Nova era de aquarius”. O fato é que o clichê de fim de namoro funcionou: “Seremos mais felizes separados”.

Chorão com seu chapa D2 e o Champignon do mundo bizarro

» leia/escreva comentários (26)