Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Mais é menos

21.04.06

por Rodrigo Ortega

Raconteurs - Broken Boy Soldiers

(V2 Records – importado, 2006)

Top 3: "Steady, as she goes", "Hands", "Broken Boy Soldier"

Princípio Ativo:
Setentismo

receite essa matéria para um amigo

Apesar de ter aumentado sua banda, Jack White ainda não abandonou o divertido e pretensioso sonho de ser Jimmy Page e Robert Plant ao mesmo tempo. Desta vez o vocalista dos White Stripes se juntou a Brendan Benson (vocal, guitarra), Jack Lawrence (baixo) e Patrick Keeler (bateria) no Raconteurs. O disco Broken Boy Soldier vazou na internet antes do seu lançamento, no dia 15 de maio. A primeira música de trabalho é "Steady, as she goes". O single é desde já um dos mais bacanas do ano, mas o álbum não garante o mesmo título.

O número de faixas facilita a avaliação de 1 a 10, como na escola. Se ainda fossem estudantes, eles acertariam as primeiras questões, mas afundariam no final da prova. Jack confundiu a fórmula da sua outra banda. No Raconteurs, mais é menos. Ele acrescentou baixo, produção e ainda mais firulas zeppelianas ao som, mas no meio do disco esqueceu que tem alguém do outro lado da caixa de som querendo se divertir.

“Steady, as she goes” abre o álbum, seguida de “Hands” e “Broken Boy Soldier”, que poderiam ser ótimas aberturas para um lado A romântico e um lado B malvado de um LP. Mas as faixas fecham o Top 3 antes da hora. "Intimate Secretary" e "Toghether" começam bem, com sonoridade dos anos 70, mas acabam com um gostinho de competência e tédio, como o de muitas das ambiciosas gravações daquela época.

O virtuosismo passa dos solos de guitarra para a produção perfeita. “Level” e “Store Bought Bones” não precisam nem daquele disfarce de óculos, nariz e bigode para passarem batidas nos primeiros discos do Deep Purple. Outra prova não-musical da produção caprichada da banda é seu site, que imita a tela dos primeiros PCs. Se o melhor do disco está no começo, o anti-clímax fica para a úlltima faixa, com o vocal de Jack em reprodução invertida tentando dar um charme retrô à arrastada “Blue Veins”.

A banda vai agora testar o hype nos palcos e está escalada para tocar no festival Lollapalooza em agosto. Jack segue o conselho da letra de "Steady, as she goes" e garante que continua firme com Meg White no White Stripes, mas afirma também que sua prioridade em 2006 é o Raconteurs.

Claro que a tal lista dos melhores do ano do primeiro parágrafo passa inevitavelmente por palpites subjetivos. Ainda mais considerando a postura excêntrica e polêmica de Jack, como um Billy Corgan dos anos 00. Brendan Benson é provavelmente o responsável pelo power pop de "Hands" e "Yellow Sun". Explicar que eu prefiro o chiclete de Benson ao blues rock de White seria muito parcial. E sincero.

Lawrence, fica bonitinho aí senão eu volto hoje para a Meg.

» leia/escreva comentários (10)