Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Pumpin’ live on your stereo

09.09.06

por Marcela Gonzáles

Stereophonics – Live From Dakota

(Sum Records, 2006)

Top 3: “Mr. Writer”, “Jayne” e “Dakota”.

Princípio Ativo:
Ao vivo e em muitas cores

receite essa matéria para um amigo

Kelly Jones e cia. estão rindo à toa. E nem precisam mais fazer esforço para isso, pois a sorte já virou amiga do Stereophonics. Após o sucesso de Language. Sex. Violence. Other? - o quinto álbum da banda, que ganhou o topo da parada britânica e disco de platina após apenas uma semana de lançamento - o trio inglês chega com um álbum duplo, ao vivo, para comemorar os dez anos de estrada.

O disco foi lançado desde abril lá fora, mas só chegou por aqui agora. Junto com ele, o Stereophonics também lançou um DVD, o Live. Studio. Video. Other?, ainda sem edição brasileira, que traz o show da turnê do último álbum de inéditas, documentário, imagens das gravações e todos os vídeos da banda nos extras.

A produção deste disco ficou por conta de Jim Lowe, que já produziu bandas de gabarito como Foo Fighters e Manic Street Preachers. A maioria das músicas são do Language. Sex. Violence. Other?, mas o disco também traz os maiores hits da banda, como “A Thousand Trees”, do primeiro disco, Word Gets Around (1996), e uma belíssima execução de “Mr. Writer”, do “JEEP Album” (Just Enough Education to Perform, 2001), como o próprio Kelly Jones apresenta no show.

Quem assistiu ao Live 8 ano passado pôde ter uma pequena noção do que seria o CD ao vivo e o DVD, já que a performance do Stereophonics sacudiu a multidão londrina. Para conferir, basta acessar o YouTube. E parece que atuar em causas nobres é também a vibe dos meninos, que recentemente doaram uma música para um disco que será lançado na Inglaterra e que colherá fundos para pesquisas no combate ao câncer.

Live From Dakota também traz uma música inédita, a ótima “Jayne”, e uma raridade, a lado-b “Carrot Cake and Wine”, do single de “A Thousand Trees”, de 1997. Destaque ainda para as performances de “Deadhead”, “Maybe Tomorrow”, “The Bartender and the Thief” – Kelly Jones traz uma pequena inserção de “Ace Of Spades” do Motorhëad nesta música, arrepiando até o último fio de cabelo – e lógico, uma ótima execução de “Dakota”, o primeiro single do Stereophonics a chegar no topo das paradas mundiais.

A entrada de Javier Weyler no Language. Sex. Violence. Other?, substituindo Stuart Cable, deu um pouco mais de sorte ao Stereophonics, muito embora alguns fãs reclamem que o estilo da banda mudou um pouco. E com um disco ao vivo em que você se sente praticamente no show quando escuta, de tão cheio de energia que é, é só tirar o chapéu mesmo pros meninos. Eles estão mandando muito bem e só poderiam estar com sorrisos de orelha a orelha.

"Por favor, abaixa pra caber o topete"

» leia/escreva comentários (3)