Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Como você nunca ouviu

21.02.07

por Braulio Lorentz

Fall Out Boy – Infinity on High

(Universal, 2007)

Top 3: “Thriller”, “The Take Over, The Brakes Over” e “I’m Like a Lawyer... (Me & You)”.

Princípio Ativo:
R & B & Emo & Me & You & braços longos

receite essa matéria para um amigo

Andrew, Joe, Pete e Patrick só têm caras de bobo. Em seu quarto lançamento, a banda de Chicago tenta abraçar o mundo e só um baita acidente de percurso os impedirá. O quarteto ainda faz valer o rótulo de punk pop, mas cada vez pendendo mais pro sobrenome deste site. Infinity on High, primeiro CD após o estouro obtido com a ajuda das pepitas “Dance, Dance” e “Sugar You’re Going Down”, foi (muito bem) vendido como “o Fall Out Boy como você nunca ouviu”.

As participações de duas figuras do R&B, Jay-Z e Babyface, atestam essa intenção. O convite aos dois deu origem às manchetes antes do lançamento. Abaixo das mesmas manchetes, o baixista Pete Wentz dizia, com pinta de estar fazendo um tremendo jogo de cena, temer a reação de seu público. O discurso das entrevistas lembra o das letras das novas canções, que continuam sendo por ele escritas.

Wentz aponta que a fama é menor que a infâmia em “Fame < Infamy”. A música, assim como “Thnks Fr Th Mmrs” e “Don’t You Know Who I Think I am?”, poderia estar no disco anterior sem que ninguém notasse. “Golden”, mais arrastada e lamuriosa do que deveria, é dona do pior trecho de letra: “E eu vi Deus chorando no reflexo de meus inimigos”. “The Take Over, The Break's Over” externa a aversão do franjudo por mídia e “flash flash flash photography”. Em “I'm Like A Lawyer With The Way I'm Always Trying To Get You Off (Me & You)”, o baixista confirma sua obsessão por advogados e títulos enormes numa só tacada.

Mas não é a mesmice, e sim o bem pouco do “como você nunca ouviu” que garante a subida no termômetro. O bando de rapazes recrutou Jay-Z para a produção de “Thriller”, faixa de abertura com pinta de hit e refrão que gruda melhor do que post-it, até porque os daqui de casa vivem caindo. “Hum Hallelujah” cita “Hallelujah”, do canadense Leonard Cohen, e repete o momento coral que se encaixa tão bem quanto no primeiro caprichado single, “This Aint a Scene, It's an Arms Race”.

Patrick Stump consegue a façanha de driblar a superexposição aos holofotes e ser o vocalista, guitarrista e co-produtor de Infinity on High. Ele está acompanhado do já citado produtor cara-de-bebê. O melhor fruto da parceria, “I’m Like a Lawyer... (Me & U)”, é meloso e pop de um jeito que bandas ditas emo sequer chegaram perto. O mais desavisado que ligar o rádio vai sorrir e assobiar ao mesmo tempo pensando que o Maroon 5 finalmente voltou.

Mas se trata do FOB, que encerra o expediente ao som da deliciosa “I've Got All This Ringing In My Ears And None On My Fingers”. O petardo termina com teclados, trombone, falsetes e promessas de um “Fall Out Boy como você nunca ouviu” para o próximo lançamento.

Retrato do Fall Out Boy: Pete careteiro, Patrick sério (e de chapéu)

» leia/escreva comentários (13)