Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Tudo é tão certo

por Rodrigo Ortega

receite essa matéria para um amigo

O vocalista e guitarrista do Moptop, Gabriel Marques, falou ao Pílula Pop sobre um sério problema que sua banda enfrenta. Apesar de o grupo que “começou sem nenhum objetivo” já ter faturado prêmios pelo site no Vídeo Music Brasil e no internacional SXSW, e pelo EP demo Moonrock no London Burning e na Laboratório Pop, assinado contrato com a Universal e aberto o show do Oasis em São Paulo, Gabriel tem um motivo para se preocupar. Ele dá uma pausa nas gravações com o produtor Chico Neves (Paralamas, Los Hermanos), para falar sobre os fãs de Belém e da Inglaterra, a criação do site e as bandas que está ouvindo. Mas no meio da conversa Gabriel confessa: “Temos um excesso de músicas novas no momento”.

Além do problema que qualquer banda pediu a Deus, o Moptop tem também data marcada para o lançamento do primeiro álbum pela Universal. ”O disco sai no meio de agosto”, contou Gabriel na entrevista a seguir.


Gabriel de camisa dos Sex Pistols: yeah rock!

Pílula Pop: Depois de tocarem em tantos lugares, vocês ainda sentem diferença entre o público carioca e de outras cidades? Alguma especialmente surpreendeu vocês?

Gabriel - Moptop: Por causa da Internet, hoje em dia não tem muita diferença. Temos um publico cativo no Rio, mas os shows fora são bastante animados também. Sempre tem um pessoal que conhece a nossa demo e canta todas as musicas do show. Até pela distância, o público de Belém talvez tenha sido o mais surpreendente.

Pílula Pop: O que achou da abertura para o Oasis?

Gabriel - Moptop: A experiência foi incrível. Tocar para um público de dez mil pessoas é realmente diferente. Foi uma prova de fogo para a banda e acho que nos saímos bem. Além disso, conhecemos o pessoal da banda, trocamos uma idéia sobre equipamentos, vimos a passagem de som deles... Enfim, algo para ficar guardado para sempre.

Pílula Pop: E o fato do Noel Gallagher ter usado a camisa de vocês?

Gabriel - Moptop: A Maria Clara, nossa produtora, estava usando a camisa da banda. O Noel e o Liam viram e pediram uma para cada um. Não teve como a gente recusar o pedido deles...


Noel de Moptop (do fotolog.net/_moptop_)

Pílula Pop: Como surgiu o conceito do site e como foi a criação? Já viu o site do Raconteurs? É a mesma estética lo-fi do site de vocês.

Gabriel - Moptop: Muita droga... Não, brincadeira. O conceito surgiu quando estávamos programando as baterias da nossa demo. Usamos um programa chamado Reason que também é baseado em uma rack de instrumentos. Apenas levamos o conceito um pouco adiante. Bacana o site do Raconteurs, não conhecia...

Pílula Pop: A mudança de Deluxe para Moptop foi apenas por causa das outras bandas com o mesmo nome ou marcou alguma mudança no som da banda? Fazer letras em português era o objetivo desde o início?

Gabriel - Moptop: Mudamos o nome por causa das outras bandas, mas coincidentemente, foi na época em que começamos a priorizar as nossas musicas em português. Não tínhamos um objetivo no começo, a banda começou como uma brincadeira. Agora é que começamos a enxergar uma possibilidade de realmente fazer isso por um bom tempo.

Pílula Pop: Vocês já têm composições novas que pretendem usar no próximo disco?

Gabriel - Moptop: Sim. Só não sabemos quantas músicas novas poderemos incluir no disco. Temos um excesso de músicas novas no momento. Gostaríamos de incluir todas em nosso disco, mas temos que priorizar as canções da demo.


Da esq.: Daniel Campos, Gabriel, Rodrigo Curi, Mário Mamede (por Lucas Bori)

Pílula Pop: Já tiveram algum contato com a Universal sobre gravações?

Gabriel - Moptop: Estamos gravando o disco no momento com o Chico Neves. O disco sai no meio de Agosto.

Pílula Pop: Pelo que vocês contam, as primeiras composições foram levadas quase prontas por você para a banda. O processo de composição ainda é este?

Gabriel - Moptop: Às vezes. Mas sempre tem uma mudança de arranjo nos ensaios. Todos dão o seu retorno, e hoje em dia a maioria dos arranjos já sai instintivamente. Mas não temos um processo fixo, cada música tem uma história particular.

Pílula Pop: O Moptop toca músicas de outras bandas ao vivo e não tem problemas em citar influências, não é? Que bandas você anda escutando recentemente?

Gabriel - Moptop: Realmente não temos problemas em falar de nossas influências. Até por que algumas são bem óbvias. A gente faz o som que gosta, muitas vezes usando elementos de bandas que escutamos. Estou escutando muito Bob Dylan, o próprio Raconteurs, Hard-fi e Wilco.

» leia/escreva comentários (7)