Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Joy Division

por Lucas Galvão

receite essa matéria para um amigo


Curtis: epilepsia para posteridade
A seguinte história, contada no filme “Control”, pode parecer familiar: uma banda pós-punk personificada na figura de um vocalista tão carismático, quanto problemático, toca músicas tristes em apresentações fulminantes. E até epiléticas. Pensou em alguma banda? Talvez várias, mas falamos aqui dos ingleses do Joy Division.

Em 1977, o baixista Peter Hook e o guitarrista Bernard Albrecht se conheceram em um show do Sex Pistols em Manchester. Depois de colocar um anúncio em uma loja de discos, encontraram o vocalista Ian Curtis e a bateria foi assumida por Steve Brothdale, que também tocava numa banda punk. Escolheram o nome de Warsaw, numa referência mais a David Bowie do que à capital da Polônia. Brothdale deu lugar a Stephen Morris e a banda enfim adotou a alcunha Joy Division, nome dado a uma área onde prisioneiras judias eram mantidas e exploradas sexualmente por oficiais nazistas durante Segunda Guerra Mundial.

O primeiro e homônimo álbum traria em sua maioria músicas com temática e sonoridade punk, mas acabou caindo nas mãos de um engenheiro de som que adicionou sintetizadores e fez com que os membros rejeitassem o petardo. Ele só seria lançado anos depois do fim do Joy Division. A banda faria sua estréia, contudo, em 78, ano em o EP An Ideal For Living foi lançado.

O primeiro disco que chegou ao mercado, Unknown Pleasures, viria por um selo independente em 79. Muito celebrado pela crítica, fez com que a banda recebesse propostas de maior distribuição, que eles ignoraram. Os caras fizeram apresentações ao vivo enérgicas e conturbardas pela Europa. Sofrendo de epilepsia, Ian Curtis constantemente se jogava e se contorcia no palco. Ganhou fama e fez escola. Renato Russo, tremei.

Depois de uma extensa turnê, a banda gravou o segundo disco, Closer, e lançou ainda o celebrado single “Love Will Tear Us Apart”. Antes da turnê pelos EUA, Curtis foi encontrado morto por enforcamento em sua casa, no dia 18 de Maio de 80, aos 23 anos.

Os três integrantes remanescentes se reuniram e passaram a se chamar New Order. Acabaram se desprendendo do fantasma do Joy Division e fazendo história nos anos 80 com um outro estilo; com sintetizadores e voltado para o eletrônico. Essa história, porém, já foi contada.

Preto e branco é um baita charme...
Discografia
  • Closer (1980)
  • Unknown Pleasure (1979)

» leia/escreva comentários (4)