Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Audrey Tautou

por Igor Vieira

receite essa matéria para um amigo


Musa Chanel
Em 2001, o mundo conheceu Audrey Tautou como a excêntrica garçonete que consertava a vida daqueles ao seu redor em detrimento da sua, em “O fabuloso destino de Amélie Poulain”. Mas, na França, seu talento foi revelado antes, em 1999, na comédia “Instituto de beleza Vênus”. Nesses dez anos, a atriz foi comparada a (outra) Audrey Hepburn, conquistou espaço no cinema mundial sem se render a comédias americanas tolas e interpretou o icônico papel-título de “Coco antes de Chanel”, que lhe rendeu o convite para estrelar a campanha da fragrância mais famosa do planeta: o Chanel No 5.

Audrey nasceu em Beaumont, na França, em nove de agosto de 1978. Começou a carreira em filmes para a TV e curtas-metragem ate chamar a atenção de Tonie Marshall, que lhe deu um papel em “Instituto de beleza Vênus”, pelo qual ganhou o Cesar de melhor atriz iniciante. No ano seguinte, apareceu em “Meninas moleques” e contracenou com Vincent Perez em “Épouse-moi” e “O pequeno dicionário de um libertino”.

Seu talento cômico foi confirmado em “Le battement d'ailes du papillon” e “O Fabuloso destino de Amélie Poulain”, ambos de 2001. Amélie, que lhe renderia uma nova indicação ao Cesar e fama mundial, quase não parou em suas mãos. O diretor Jean-Pierre Jeunet queria a inglesa Emily Watson para o papel, mas ela desistiu, não acreditando que seu francês fosse bom o bastante. O cineasta se encantou com Tautou no pôster de “Instituto de beleza Vênus” e, nos primeiros dez segundos do teste, ela ganhou o trabalho. Com Jeunet, a atriz faria ainda o drama de guerra “Eterno amor” e o filme para a campanha da Chanel.

Com o sucesso de “Amélie”, Tautou engatou três filmes franceses e o seu primeiro trabalho em língua inglesa, “Coisas belas e sujas”, de Stephen Frears. Quatro anos depois, ela apareceria ao lado de Tom Hanks em um dos filmes mais esperados e comentados de 2006, o polêmico “O Código Da Vinci”. Na época, declarou que sempre considerou a hipótese de fazer um blockbuster, mas jamais imaginou que isso pudesse acontecer com ela. Apesar do interesse de Hollywood, afirmou que não recebia propostas interessantes.

De volta ao cinema francês em 2005, fez “Bonecas russas”, continuação de “Albergue espanhol” de 2002; “Amor... não tem preço” e “Ensemble, c'est tout”. Vivendo a inovadora Gabrielle Chanel antes da construção do império que conhecemos hoje, Audrey Tautou vem colhendo elogios da crítica internacional. Se depender de sua sensibilidade para a escolha dos papéis, seu carisma e talento, a jovem atriz será cada vez mais conhecida e reconhecida mundialmente. E o melhor disso tudo: fazendo o novo e bom cinema francês.

Musa indie '00 francesinha.
Filmografia
  • Soins complets (2010)
  • Coco antes de Chanel (2009)
  • Ensemble, c'est tout (2007)
  • Amor... não tem preço (2006)
  • Bonecas russas (2006)
  • O Código Da Vinci (2006)
  • Eterno amor (2004)
  • Nowhere to go but up (2003)
  • Pas dans la bouche (2003)
  • Les marins perdus (2003)
  • Coisas belas e sujas (2002)
  • Albergue espanhol (2002)
  • Bem me quer, mal me quer (2002)
  • Dieu est grand, je suis toute petite (2001)
  • O fabuloso destino de Amélie Poulin (2001)
  • Le battement d'ailes du papillon (2001)
  • O pequeno dicionário de um libertino (2000)
  • Épouse-moi (2000)
  • Meninas moleques (2000)
  • Instituto de beleza Vênus (1999)
  • Le boiteux: Baby blues (1999), TV
  • La vieille barrière (1998), TV
  • Chaos tecnique (1998), TV
  • Bébés boum (1998), TV
  • La vérité est un vilain default (1997), TV
  • Coeur de cible (1996), TV

» leia/escreva comentários (0)