Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Zack Snyder

por Rodrigo Campanella

receite essa matéria para um amigo


Criaturas e criador
No inverno de 1989, apenas três alunos saíram com diploma na mão do curso de graduação em cinema no Art Center College of Design em Pasadena, Califórnia. Não que a reprovação fosse alta: eles eram toda a sala. Zack Snyder tinha 23 anos, e completava a turma com Larry Fong e Clay Stub. Saíram dali amigos.

Dezoito anos depois, os três estavam novamente reunidos em torno do cinema. Em “300”, adaptação do romance em quadrinhos de Frank Miller, Fong é o fotógrafo; Stub, o diretor da unidade de apoio; e Zack Snyder, o diretor e idealizador do projeto.

Entre a entrega do canudo e as espadas de Esparta, Fong ficou famoso por dirigir a fotografia do episódio piloto (e mais alguns capítulos) de Lost. Já Stub estava com Snyder, também na unidade de apoio, quando o amigo dirigiu seu primeiro longa-metragem: o remake de “Madrugada dos Mortos”, clássico zumbi de George Romero.

Logo depois da faculdade, Snyder fez carreira na publicidade, caminho hoje habitual para quem tem o cinema no horizonte. Gravou muito, em todos os continentes e comentou em entrevista que “apesar de todos me tratarem como um iniciante no set de “Madrugada”, provavelmente eu já tinha filmado mais material que qualquer um ali”.

Ficou conhecido por comerciais que investiam em adrenalina e paisagens deslumbrantes. Essa marca, e o reconhecimento no mundo dos anúncios, dariam a ele os créditos para ser o escolhido pelos produtores para refilmar “Madrugada dos Mortos”, idéia que zanzava pelos estúdios há anos sem se concretizar como projeto. Conduzido pelo “estreante”, ganhou boa parte da crítica e rendeu mais de 60 milhões de dólares ao estúdio.

Então ficou claro que o diretor conseguiria tirar do papel o projeto que guardava desde os tempos da publicidade. E não só isso. Além de colocar de pé e botar para andar seus 300 de Esparta, assinou uma parceria em que a Warner Bros dará suporte para a produtora que recém-criou com sua mulher, Deborah, com o nome não muito inspirado de Cruel & Unusual Films. Em troca, todos os projetos da produtora serão oferecidos sempre primeiro à Warner. O primeiro projeto da parceria é “Army of the Dead”, mais um pacote de zumbis que, de acordo com o burburinho marqueteiro inicial, terá maior escala do que qualquer filme do gênero até hoje.

Possivelmente o filme não contará com a assinatura de Snyder. Ele vai estar bastante ocupado pelos próximos anos adaptando para a tela grande Watchmen, obra-prima do escritor Alan Moore e do desenhista Dave Gibbons – para desgosto de Moore, que odeia qualquer adaptação de obra sua, com um fundo de razão até aqui. Se as críticas do escritor dessa vez vierem mais leves já será um bom elogio.

Criador e criatura
Filmografia
  • Sucker punch (2010), em pré-produção
  • Watchmen - o filme (2009)
  • 300 (2007)
  • Madrugada dos mortos (2004)
  • Playground (vídeo) (1996)

» leia/escreva comentários (3)