Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Pirataria no cinema!

Ho ho ho, cash, cash, cash.

receite essa matéria para um amigo

Edição: Daniel Oliveira

Ok, rápido: Cinco motivos para você assistir aos dois Piratas do Caribe anteriores e mais esse terceiro:

1- Johnny Depp.
2- Johnny Depp emulando Keith Richards como um pirata afeminado.
3- Keith Richards, que caiu de um pé de maracujá e dormiu durante a premiere do filme em Los Angeles, em uma ponta como o pai de Jahnny Depp.
4- Keira Knightley que, apesar de magrinha, é bonita, tem um sotaque inglês de bambear as pernas e é...quase uma Winona Ryder - que, por sua vez, já namorou o Johnny Depp.
5- Eu mencionei Johnny Depp?

Para te preparar para esse que pode ser o 3 do verão gringo, depois da decepção emo-aranha, o Pílula entrega textos fresquinhos e algo mais. A gente não é tão cool quanto o Johnny Depp, mas tentamos nosso melhor.

Piratas do Caribe: No fim do mundo
Piratas do Caribe: A Maldição do Pérola negra
Piratas do Caribe: O Baú da morte
DNA Johnny Depp

Criança mimada sempre quer mais

13 motivos para você amar e odiar Jerome Leon Bruckheimer (aka Mr. Outside ou Mr. Blockbuster):

1) Nascido em família judia de Detroit em 21 de setembro de 1945, ele estudou Fotografia e se formou em Psicologia, mas decidiu trabalhar com Publicidade em Nova Iorque. Largou a carreira e foi para Los Angeles se arriscar como produtor de cinema.

2) Um de seus primeiros créditos ao lado do parceiro Don Simpson, com quem formou a Simpson-Bruckheimer Productions, foi o cult-brega da Sessão da Tarde “Flashdance”. Tentou repetir a fórmula em 2000 com “Show Bar” e se deu mal.

3) Foi o responsável por alçar Richard Gere, Eddie Murphy, Tom Cruise e Will Smith ao estrelato – respectivamente, com “Gigolô americano”, “Um tira da pesada”, “Top Gun” e “Bad boys”.

4) Tentou repetir o sucesso de “Top Gun” com Tom Cruise e cometeu “Dias de trovão”. Com Murphy e Smith, cometeu as desnecessárias seqüências dos filmes acima. Com Gere, ainda bem, ele parou ali mesmo.

5) Dissolveu a parceria com Simpson em dezembro de 1995, devido ao abuso de drogas do parceiro, que morreu menos de um mês depois.


Bruckheimer: É fácil rir...

6) No mesmo ano, fez o interessante “Maré vermelha” com Gene Hackman e Denzel Washington. Claro que ele estragou a parceria com Washington depois em “Duelo de titãs” e “Déjà vu”. Com Hackman, ele ainda fez o simpático “Inimigo do estado”.

7) Ainda em 1995, produziu o drama “Mentes perigosas”, com Michelle Pfeiffer tentando melhorar o mundo. Tentou repetir a fórmula em 2003 e cometeu “O custo da coragem”, com Cate Blanchett.

8) Iniciou uma parceria com Nicolas Cage em 1996, com o hit “A rocha”. Ele ajudou a diminuir a credibilidade do ator em “Con Air”, na bomba “60 segundos” e no Código da Vinci-wannabe “A lenda do tesouro perdido”.

9) Por uma fatalidade do destino, conheceu um diretor chamado Michael Bay, com quem cometeu “Armageddon”, “Pearl Harbor” e “A ilha”. Os deuses do cinema nos devem essa.

10) No mesmo ano de “Pearl Harbor”, tentou redimir-se com o universo produzindo “Falcão negro em perigo”, mas ainda ficaram uns trocados pendentes.


...Com tanto dinheiro no bolso

11) Criou a divertida série-pipoca “CSI” em 2000, mas se empolgou demais e vieram as desnecessárias “CSI: Miami” e “CSI: NY”. Empolgou-se mais ainda e estragou tudo com “Without a trace”, “Cold case” e “Close to home”.

12) Em 2003, foi dobrado pela primeira vez pelo talento de um tal Johnny Depp. (Claro que ele tinha que estragar “Piratas do Caribe” com mais duas seqüências bilionárias). Bruckheimer ainda tentou render mais ainda com a estrela Keira Knightley, mas o resultado foi o inexplicável “Rei Arthur” – sem história, sem ritmo, sem propósito, sem graça.

13) Seus filmes já renderam mais de US$ 11 bilhões em público, DVD, VHS e trilhas sonoras. Só pelo segundo Piratas, ele recebeu US$ 5 milhões mais uma parcela da (humilde) bilheteria. E se prepare, o homem das franquias não pára: a seqüência de “A lenda do tesouro perdido” vem aí. E “Prince of Persia” (sim, aquele que pula pra lá e pra cá, mesmo) também.

As 10 maiores bilheterias de Bruckheimer no cinema (EUA)

Piratas do Caribe: O baú da morte - US$ 423.315.812

Piratas do Caribe: A Maldição do Pérola negra - US$ 305.413.918

Um tira da pesada - US$ 234.760.478

Armageddon - US$ 201.578.182

Pearl Harbor - US$ 198.542.554

Top Gun - US$ 176.786.701

A lenda do tesouro perdido - US$ 173.008.894

Um tira da pesada 2 - US$ 153.665.036

Bad Boys 2 - US$ 138.396.624

A rocha - US$ 134.067.443

» leia/escreva comentários (4)