Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Mil amadurecimentos e três mil separações

22.05.06

por Braulio Lorentz

Sandy e Junior - Sandy e Junior

(Universal, 2006)

Top 3: “Replay”, “Estranho Jeito de Amar” e “Nós dois no abismo”.

Princípio Ativo:
Pop para muitas idades

receite essa matéria para um amigo

Eu tenho 22 anos.

Acompanhei a carreira de Sandy e Junior de bem perto. Sendo que perto é a distância que separa meu quarto do de minha irmã. Portanto, existe uma parede e uma porta com um postêr do Max Fercondini que sempre me mantiveram afastados da dupla. E esse afastamento é o suficiente para não me deixar levar pelo carisma do Junior ou pelo talento da Sandy.

Em 99, ano de lançamento de As Quatro Estações, surgiu pela primeira vez a história do “Estamos diante do CD mais maduro de Sandy e Junior”. Esse blablablá tinha um par: o papo de “Agora eles vão se separar”. O suposto disco de ruptura possui momentos que flertam com a ingenuidade, caso do hit “Vamo Pulá!”, mas traz uma pitada de amadurecimento, como na faixa-título. 2002 marcou o passeio pelo mercado internacional, que rendeu um bom disco e a frustação de ser abatido em pleno vôo. Identidade, do ano seguinte, tinha os dois separados na capa e canções que reforçaram os papos já citados.

A dupla tem 15 anos.

“Preso num replay”, como cantam na primeira música de trabalho deste 15º disco, é uma frase que define bem a trajetória da dupla. Porém, desta vez o papo da maturidade foi elevado ao cubo. Em lojas virtuais, o CD é oferecido em promoções do estilo “Compre junto” ao lado de Ana Carolina & Seu Jorge.

Isso é uma pena. Sandy e Junior, juntos, têm mais potencial quando abraçam apertado o pop e deixam de lado a pretensão. Não é a toa que faixas de álbuns anteriores, como “Desperdiçou” e “Quando Você Passa (Turu Turu)”, estão entre as melhores que já ouvi.

Sandy tem 23 e Junior tem 22 anos.

Junior tocou bateria e assinou a co-produção em todas as 12 faixas, e Sandy é a autora de sete letras. As faixas que saltam aos ouvidos são os momentos Sandy garota da MPB. A balada “Estranho Jeito de Amar” e “Nós dois no abismo” são as duas canções mais bonitas.

“Nas Mãos da Sorte” tem Milton Nascimento recitando Gabriel o Pensador e “Discutível Perfeição” me dá vontade de, pela primeira vez, pedir pra minha irmã abaixar o volume. A primeira traz ainda a participação de Taboo, do Black Eyed Peas, e a segunda ficou famosa antes de ser lançada, por causa da letra: “A princesa também briga, encrenca, berra e fala palavrão”.

Na mesma música, Sandy diz que não é boba e pede que respeitem seus “longos anos de estrada”. Eu respeito. Só que já contei que, em metade desse tempo, acompanhei bem de perto. Então, tenho intimidade suficiente para aconselhar: Junior, vai montar tua banda de pop rock. Sandy faça um curso de balançada de saia com a Maria Rita. Seria o dobro do lucro e seria duplamente mais legal.

Os olhares não se esbarram e as predileções menos ainda

» leia/escreva comentários (27)