Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Vira o disco, vai...

26.09.06

por Lígia Souza

Jet – Shine On

(Atlantic – Importado, 2006)

Top 3: “Rip it up”, “That’s all lies” e “All You Have To Do”.

Princípio Ativo:
mais YEAH!’s

receite essa matéria para um amigo

Acho que, quando eu fizer meu top 10 dos álbuns lançados em 2006, o novo do Jet não vai estar entre eles. Não que o CD seja ruim, mas em um ano de Razorlight, She Wants Revenge, Belle and Sebastian e Strokes fica difícil.

Só para contextualizar o leitor, é melhor falar um pouco do Jet antes de ir pra bolachinha. Os australianos são conhecidos, mas para o grande público eles ainda não chegaram a ponto de dispensar apresentações. O primeiro CD dos caras, Get Born, foi lançado em 2003. Aqui no Brasil, dois dos seus singles fizeram relativo sucesso: “Are You Gonna Be My Girl” e “Look What You've Done”.

Há cerca de um mês, o primeiro single de Shine On, “Put Your Money Where Your Mouth Is”, vazou. Essa música não tem nada a ver com “Put Yer Money Where Yer Mouth Is” do Oasis, apesar do Jet ter tocado com eles nos shows da turnê do álbum Don't Believe The Truth. A primeira impressão é que não é uma música tão boa quanto “Are You Gonna Be My Girl”.

A letra continua com a energia do Get Born (“I’ll show you what I got yeah / When you tell me what you need”). Os gritos de “yeah”, “wow”, “aahh” também permanecem. Mas, tenho que admitir, o falsete de Cameron Muncey no começo não agradou. Estava prestes, então, a baixar minhas expectativas em relação ao resto do CD. Mas quando chega o refrão, a banda mostra que é a mesma.

A audição do Shine On completinho comprova que o single não engana. É fácil notar as influências, Beatles aqui, Rolling Stones ali, os conterrâneos do AC/DC... Sem grandes novidades.

“Rip It Up” é a melhor do disco. Muito provavelmente algum dia você irá a algum lugar, ela vai tocar e você vai se empolgar no refrão. Nada como “Are You Gonna Be My Girl”, mas ainda assim vai se empolgar. O CD também tem suas baladinhas, como “Eleanor” e “All You Have To Do”.

Vale a pena baixar e ouvir – ou entrar no Myspace deles e conferir as faixas na íntegra. Alguns vão até achar que vale a pena pagar cerca de 35 reais por um original... Mas o caso é que Shine On é muito Get Born. Ele é tão bom quanto o primeiro, mas também é parecido demais com ele.

Se o som da banda produzido agora saísse andando pela rua, com certeza ele seria confundido com as músicas feitas há três anos. Não garanto que você vai se tornar um grande fã da banda (da mesma forma que creio que os fãs não vão se decepcionar), mas o que é bom nunca é demais. Yeah? Então, yeah!

P&B & Rock&Roll: sem muitas cores, mas com muitos “Yeah’s! Wow’s! Aahh’s!”

» leia/escreva comentários (10)