Busca

»»

Cadastro



»» enviar

A pipa do vovô ainda sobe

04.10.05

por Rodrigo Ortega

Rolling Stones - A Bigger Bang

(EMI, 2005)

Top 3: “Streets of love”, “Rain fall down”, “Rough Justice”

Princípio Ativo:
A juventude que nunca morrerá

receite essa matéria para um amigo

Um exercício legal é tentar ouvir A Bigger Bang como se fosse o lançamento de uma banda nova, como os Killers ou os White Stripes. Ficaria na cara que é uma banda retrô, mas com produção modernosa e músicas empolgantes. Os sexagenários Mick Jagger e cia. fizeram um disco que dispensa qualquer desculpa que releve o cansaço e a idade, e entraria fácil em uma “hot list” do novo rock.

Gravado no castelo de Mick Jagger, na França, este é o primeiro disco dos Stones em oito anos, desde Bridge do Babylon (1997). Recebeu elogios da imprensa, comparações com o clássico Exile on Main St. (1972) e ganhou capa de várias revistas, inclusive o primeiro número da ressuscitada revista Bizz. A turnê de divulgação do disco já começou, e tem show marcado para o dia 18 de fevereiro do ano que vem, em Copacabana.

O primeiro single “mundial” é a bonita “Streets of love”, balada apoteótica, do tipo que Richard Aschcroft, ex-vocalista do Verve, se mata para fazer desde o fim de sua banda. Nos EUA, os Stones lançaram outro single, “Rough Justice”, a faixa de abertura do disco, super roqueira e empolgante. Ainda não conseguiram o almejado primeiro lugar nas paradas norte-americanas, mas estão se dando bem no mundo todo.

O mulherengo Mick Jagger não poderia deixar de falar de seus inúmeros vacilos com mulheres nas letras das músicas. A ótima “Oh no, not you again” pode ser lida como um desabafo para a mãe de seu filho Lucas, Luciana Gimenez: “Ah não, você de novo / f*dendo com minha vida... / tudo está perfeito / mas eu sou alérgico / ao seu olhar mercenário”. Já “Biggest Mistake” parece um recado para Jerry Hall, sua ex-mulher, que pediu o divórcio por causa de Gimenez: “Ela não merecia isso / mas era tarde demais / Eu fui embora e a deixei ao seu destino”.

A letra do disco que tem chamado mais atenção é a de “Sweet neo-con”, que ataca George W. Bush: “Você diz que é cristão, eu digo que é hipócrita/Você diz que é patriota, pois eu acho que tem a cabeça cheia de merda". Recentemente eles deram uma esmolinha de U$ 1 milhão para a Cruz Vermelha, para ajudar as vítimas do Katrina.

Keith Richards canta “This place is empty” com a voz detonada, mas sem perder o tom e a fama de mau. Compõe riffs suingados e bacanas, como “Rain Fall Down” e “Dangerous Beauty” e ajuda a colocar os Stones como uma das melhores bandas de britpop da atualidade.

Keith Richards, com aspecto de maracujá de gaveta, mas com muito rock pra dar

» leia/escreva comentários (9)