Busca

»»

Cadastro



»» enviar

(Rebeldia de shopping)5

26.05.07

por Braulio Lorentz

Avril Lavigne – The Best Damn Thing

(SonyBMG, 2007)

Top 3: “When You’re Gone”, "The Best Damn Thing" e “Hot”.

Princípio Ativo:
Passeio pelo shopping center

receite essa matéria para um amigo

The Best Damn Thing é a estréia da parceria de Avril Lavigne com o produtor Rob Cavallo (My Chemichal Romance, Green Day). Ele é um dos responsáveis por mais este passeio entre escadas rolantes e músicas mais rosadas do que a encomenda, com destaque para “Hot”.

Banheiro
Enquanto Britney Spears caga na vida pessoal (e mantém sua bela discografia intacta), outras cantoras depositam seus excrementos na vida profissional. Em seu terceiro CD, Avril não chega a perder a noção como sua compatriota Alanis Morrissete, que lançou versões, errrr..., controversas de "Crazy" e "My Humps". Seis anos após surgir com seus adolescentes singles, "Complicated" e "Sk8ter Boi", estamos diante de uma Avril ainda mais adolescente, daquelas que jogam papel higiênico molhado no teto do sanitário.

Loja de roupa
Os trajes góticos devem ficar uns bons tempos sem sair do canto do armário. Diferente de outra conterrânea, Nelly Furtado, as vestimentas da ex-sk8ter girl não mudam de estilo em nenhuma das 12 novas faixas. Decote, saia curta, micro shortinho, meia arrastão, mechas rosa e até topless seriam impensáveis nos discos passados. Na música-título surge uma Avril Lavigne líder de torcida que grita: “Me dá um A / Sempre me dê o que eu quero / Me dá um V" e por aí vai, até soletrar o próprio nome com empolgação típica de cheerleader. Em “I Don't Have To Try”, ela afirma: “Eu sou a única que sabe a dança”. A prova disso é que o show de The Best Damn Thing terá coreografias, novidade que não caberia na fase bermudinha e gravata.

Praça de alimentação
O álbum anterior, Under My Skin (2004), caprichava nos tons acinzentados e tirava do forno um arroz com feijão com tempero amargo. A garota canadense teria melhor sorte caso ficasse no menu básico. Porém, em vez disso, Lavigne pega o cardápio numa mão e canetinhas hidrocor noutra para desenhar florzinhas, borboletinhas e outras firulas. A garota-garoto virou garota-mulherzinha. Mas mesmo assim ela não deixa de fora hardcores rosas como “I Can do Better”.

Espaço de jogos eletrônicos
O primeiro single, “Girlfriend”, é perfeito pra ser cantado no karaokê com a garotada toda reunida. Uma dupla seguraria um microfone e berraria “Hey, Hey” e a outra responderia sem perder o fôlego “You, You”. Mas é apenas o refrão xerocado das japonesinhas Puff AmiYumi que tem algo de legal.

Cinema
“When You’re Gone” e “Innocence” são músicas lentas que embalariam com muita decência comédias românticas. As mais aceleradas “One Of Those Girls” e “Everything Back But You" seriam ótimas em outra função: dariam certo como música de fundo dos preparativos para um baile ou de uma cena em que amigos pintam paredes e deixam de forma descontraída cair tinta uns nos outros.

De Sk8ter para patricinha: salto, meia arrastão e novo penteado

» leia/escreva comentários (26)