Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Canções para findie tarde

08.10.07

por Cedê Silva

Feist – The Reminder

(Interscope, 2007)

Top 3: "My Moon My Man", "Past in Present", "1234".

Princípio Ativo:
Brandy, água, um tiquinho de country e... *pop*!

receite essa matéria para um amigo

O sabor “indie on the rocks” fica evidente em cada segundo da faixa “My Moon My Man”, desde a batidinha de abertura até o refrão sussurrado, passando pelo solinho de teclado e terminando com passos (!) de pessoas apressadas. Ao toc-toc-toc dos passos vai se juntando o piu-piu-piu de passarinhos, e voilá, tem-se um medley a la Beatles, uma música encaixando na outra. “The Park” é uma canção gostosa de se ouvir – você se imagina no pôr-do-sol, deitado na grama. Mas, com mais tintas country do que a urbanidade roqueira com que se está acostumado, a música te leva antes a um sítio do que a um parque.

Você percebe: a canadense de 31 anos, que vem ao Brasil no fim de outubro para se apresentar no Tim Festival, consegue atingir notas bem altas sem desafinar nem soar caipira – sempre um perigo, como se sabe. “The Water”, uma música muito bonita, quase (mas só quase!) chega a incomodar por causa dos “gritinhos” – ao passo que na descontraída “Sealion” ela lidera de forma competente os demais cantores.

Você chega, então, a uma das melhores faixas de The Reminder, “Past in Present" – que, daquela forma que só o indie rock consegue, mistura alto-astral e nostalgia. Boa para ouvir com amigos. Já “The Limit to your Love” é sua típica música de rádio adulta – fica bem tanto tocando no carro do paizão quanto para dançar coladinho no apê do seu amor. “Ah, l’amour!”

“Poxa, não é a toa que o disco chama The Reminder”... pop! Subitamente, você se redescobre no balcão onde está e pára de viajar na maionese. Existe uma regra não-escrita segundo a qual o resenhista que tem como faixa favorita justamente a mais pop do álbum não deve entender muito das coisas. Sinceramente, não me importo. “1234”, que virou hit no Hot 100 da Billboard, é uma das melhores mesmo – e só não elejo favorita porque a segunda metade do álbum é muito melhor do que a primeira.

Contudo, para quem quer experimentar, “1234” não é a mais representativa do álbum, no qual predominam músicas lentas e “pensativas”, por assim dizer. As duas últimas faixas – “Honey Honey” e “How my Heart Behaves” – são por onde você deve começar.

"Este lado para cima"

» leia/escreva comentários (12)