Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Pequena (?) Juno McGuff

23.02.08

por Marina Borges e Igor Costoli

Juno

(EUA, 2007)

Dir.: Jason Reitman
Elenco: Ellen Page, Michael Cera, Jennifer Garner, Jason Bateman, Olivia Thirlby, J.K. Simmons

Princípio Ativo:
Rapidez, sagacidade, informalidade e muito despojamento.

receite essa matéria para um amigo

- Então, que você achou do filme?
- Ou, é a melhor comédia de 2007.
- Mas é uma comédia mesmo? Eu achei que fosse drama...
- Sua resposta me dá certeza do que estou falando. Comédia virou algo muito definido sobre o que ela é e o que pode ser. Ou é comédia romântica ou de escracho, e quando se faz uma boa história que seja engraçada, é como se ela fosse outra coisa.

(...)

- Acho que a "confusão" tem a ver com a temática. Gravidez, aborto, doação de filho... tem cara de drama. Mas o roteiro foge disso o tempo todo.
- Bom roteiro. Aliás, quase tudo que saiu indicado, os grandes, são adaptações. Já em roteiro original, sei não, olha a chance de Juno aí. Porque de resto...
- Pobre Ellen, que de cara já pega umas tias velhas de guerra, com papéis bem mais "oscarísticos". E se o filme não resvala no drama, mesmo com a temática, e não resvala no escracho, mesmo com os "tipos ideais" de cidadezinha do interior, boa parte do mérito é dela.
- O Guerrinha fala bem dela desde “MeninaMá.com”...
- Ela fez “Menina Má.com”? Medo! Ou, melhor filme, só se os tios do Oscar esquecerem as regras moralistas de como votar - mas não me importaria de morder a língua...

(...)

- Gostando da trilha?
- Eu ia falar agora. Ah, se as regras de trilha sonora fossem outras... Sabe como funciona?
- Nope. Mas Kimya Dawson, Moldy Peaches, Belle and Sebastian e Sonic Youth são indies demais para o Oscar, não?
- A questão não é essa. É que só são indicadas músicas originais. Tanto que rolou a polêmica da desqualificação da trilha de Sangue Negro, porque nem tudo é inédito ali. Se a Academia trabalhasse com a idéia de que várias músicas comerciais podem dar unidade a um filme, “Juno” entrava.
- Pena, a trilha é tão boa. Ela não interfere muito, aparece nas horas certas e tem aquele clima de "estamos entre amigos". O que é verdade, já que a K. Dawson é amiga da Ellen, um "QI" que deu certo. E a escolha de Astrud Gilberto para ser o fundo da tarde em que a Juno e o Bleeker "tavam fazendo nada" foi perfeita... não que eu ache chato, mas o clima...

(...)

- Pena o Cera não ser mais presente. Ao mesmo tempo, será que precisava?
- Difícil fazer tão bem um papel de poucas palavras e aparições. Estranhei ele não se envolver na questão da gravidez. Mas com o passar do filme, você entende

(...)

- E o Reitman...acho a indicação merecida prum filme que mostra, novamente, como ele sabe conduzir uma história.
- “Juno” é bom de se gostar, e dá muita vontade de torcer também.
- Se dá! Custou muito pouco e nem por isso deixa de ser um filmão. Melhor ainda se ganhar o Oscar...
- ... agora é esperar domingo.

Mais pílulas:
- Pequena Miss sunshine
- Navegue por todas as críticas do Pílula

“Tá, já tô indo pra aquela festa chata do Oscar, não precisa empurrar...”

» leia/escreva comentários (5)