Do Arquivo: DNA Belle & Sebastian

Nossa avaliação

Os escoceses do Belle & Sebastian estão no Brasil para 2 shows: hoje em São Paulo e sexta-feira no Rio (este organizado pelo movimento Queremos Bandas no Rio e com todos os ingressos vendidos).

Pra aquecer o coração e refrescar a memória, recuperamos o perfil que que o Pílula fez sobre a banda, na época do lançamento de The Life Pursuit. Go, indie, go.

DNA Belle and Sebastian
Por Braulio Lorentz

Belle and Sebastian não é uma dupla. Em termos, já que o nome da banda é inspirado em dois personagens da literatura infantil francesa. O Belle and Sebastian é fofo e escocês, com o perdão da redundância. Outra coisa que você precisa saber é que Dear Catastrophe Waitress, de 2003, representa um grande momento de popice (e fofice) e foi produzido por Trevor Horn, criador do som da duplinha T.A.T.U.

A banda é formada por Stuart Murdoch (vocal e guitarra), Stevie Jackson (guitarra e vocal), Mick Cooke (trompete e guitarra), Richard Colburn (bateria), Sarah Martin (violino e vocal), Chris Geddes (teclado e piano) e Bob Kildea (baixo e guitarra). Ufa! Isso porque o baixista e um dos fundadores Stuart David pediu as contas em 2000 e Isobel Campbell saiu em 2002.

O Sebastian de Belle and Sebastian nada tem a ver com o ex-vocalista da banda de metal farofa Skid Row. Se você pensa que essa associação é forçada, pare por aí. A coletânea Push Barman to Open Old Wounds, de 2005, já pôde ser encontrada com facilidade na seção Hard Rock/Metal de uma grande loja virtual brasileira.

A ligação com o Brasil é feita via gravadora Trama, que lançou por aqui todos os discos do Belle and Sebastian, incluindo o DVD, Fans Only, de 2004. A passagem bem sucedida pelo Free Jazz 2002 é prova de que o culto B&S possui muitos adeptos por estas bandas.

Os fãs da banda escocesa, segundo o programa Toptop da MTV, estão na oitava posição dentre os mais insuportáveis: “Fã de Belle & Sebastian é tão insuportavelmente descolado que, se pudesse, veria um show da banda sentado num puff”. Que exagero! Eu preferia ver o show sentado numa poltrona mesmo…

Além da “chatura” dos fãs, outra característica que ronda o grupo e chama nossa atenção é a qualidade dos clipes. Ou a falta de, na opinião dos chatos que odeiam o Belle and Sebastian. Isso mesmo, os fãs têm fama de chatos, porém os detratores travam uma disputa emocionante para ver quem é o mais chato.

E entre tanta fofice e chatice, estão canções de qualidade espalhadas por álbuns como Tigermilk, o primeiro da carreira, de 96. If You’re Feeling Sinister, de 97, colocou a banda de vez no mapa do pop. Além dos seis sete CDs e da coletânea, um punhado de EPs e uma trilha sonora (Storytelling, de 2002), também estão no currículo.

Discografia

* Belle & Sebastian Write About Love – 2010
* The Life Pursuit – 2006
* Push Barman to Open Old Wounds – 2005
* Dear Catastrophe Waitress – 2003
* Storytelling – 2002
* Fold Your Hands Child, You Walk Like A Peasant – 2000
* The Boy With The Arab Strap – 1998
* If You´re Feeling Sinister – 1997
* Tigermilk – 1996

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • A gente
  • Home
  • Retro
  • Homeopatia
  • Overdose
  • Plantão
  • Receituário
  • Ressonância
  • Sem categoria
  • 2020
  • 2019
  • 2018
  • 2017
  • 2016
  • 2015
  • 2014
  • 2013
  • 2012
  • 2011
  • 2010
  • 2009