Grey’s anatomy 7×15 Golden Hour

Nossa avaliação

Golden Hour (ou “hora dourada”) é o nome dado pelos médicos ao período crítico entre a chegada de um paciente ao hospital e a determinação do diagnóstico para salvá-lo. É também o título deste episódio e o tempo pelo qual acompanhamos Meredith, enquanto ela se voluntaria para comandar o ER por uma noite. O estilo “24 horas” poderia ter sido forçado e virado uma bagunça, mas resultou em um dos capítulos mais tensos, bem amarrados e satisfatórios da temporada – graças à direção de Rob Corn, produtor executivo da série, e ao roteiro de Stacy McKee, que também escreveu o ótimo These arms of mine.

O recurso usado por ela para criar um deadline e um senso de urgência para o episódio foi um jogo de basquete universitário ao qual todos queriam ir. (De repente, as pessoas no Seattle Grace começaram a se importar com esporte). Mas foi uma hora de Meredith, Meredith e Meredith. Há muito tempo a série não colocava sua protagonista tão em foco e Ellen Pompeo esteve à altura, mostrando que quando quer, sabe fazer bem mais do que sua performance preguiçosa usual.

Quando tudo resolve dar errado em 1 hora.

Meredith e o jogo empatam o ménage de Teddy
Um dos pacientes de Grey era um sujeito muito simpático que chegou ao hospital com dores no peito. E queria sair de lá rápido porque tinha prometido levar o filho ao jogo. Os exames dele não apontavam nada, mas mesmo assim Grey pediu uma consulta a Teddy.

Só que a cardio-cirurgiã tinha um encontro marcado com um cara que ela conheceu pela Internet. E ele estava esperando no saguão. E quem melhor para entretê-lo durante a consulta do que o marido de Altman? Sim, o cara-muito-doente aka novo Denny Duquette aka Scott Foley que, por coincidência, estava no SG para alguns exames. AWKWARD.

Foi uma clássica história de “Grey’s”: começou divertida e, quase sem percebermos, fez uma curva para o drama trágico. A montagem em que Teddy e Meredith se preparam para a cirurgia no elevador (ao som de Phoenix), além de ser a melhor do episódio, foi uma síntese de como Shonda Rhimes enxerga suas médicas. E para os registros: cada vez temos mais certeza de que essa história de Altman com o cara-muito-doente aka novo Denny Duquette aka Scott Foley não vai terminar bem. Ela já está caidinha por ele.

O jogo e seus idiotas fodem com Meredith
Adele, não a cantora e sim a esposa do Chefe Webber, estava no hospital após cair de uma escada. Meredith devia dar atenção especial a ela, mas isso se tornou um pouco difícil quando dois idiotas chegaram ao ER após uma briga em um bar, onde estavam bebendo antes de ir ao tal jogo. Detalhe: um deles com uma faca enfiada no crânio.

Por algum milagre absurdo, e idiota (Deus protege os bêbados), a lâmina conseguiu não causar dano neurológico nem atingir nenhuma veia ou artéria. Tanto que o amigo-idiota-sem-a-faca tirou ela de lá (sim, eles também estavam com pressa) enquanto os médicos olhavam embasbacados para o Raio-X. E não, o idiota-com-a-faca não morreu.

Com isso, Grey deixou a paciente VIP de lado e levou um (ou dois) pitos do Chefe. Não sem antes notar que a história de Adele mudava a cada vez que ela a atendia. Webber ficou puto quando Meredith cogitou que sua esposa estivesse apresentando sintomas mentais. Ele recusou exames mais profundos, alegando que Grey está obcecada com Alzheimer. Algo nos diz que veremos Adele de volta ao hospital ainda nesta temporada.

Meredith e o jogo fazem uma criancinha chorar
Enquanto isso, um garotinho com o fêmur quebrado gritava de dor esperando Grey liberar uma Sala de Cirurgia para colocar seu gesso. O que estava meio complicado, já que todo mundo estava quase morrendo naquela noite. Um dos pacientes começou a ter um derrame no estacionamento e só se safou porque Meredith saiu correndo atrás dele e fez o exame mais bizarro ever (se você não consegue rir, CUIDADO). Pra piorar, a namorada do pobre coitado ainda era uma vaca que queria classificar o derrame de 1 a 10 – 10 sendo o cancelamento da viagem deles para Aspen.

Mas onde há uma criancinha chorando, há Super Alex ao resgate. Karev estava de folga, mas teve que ficar de castigo por não assinar seus prontuários. Ah, sim: ele também tinha ingressos e estava atrasado para o jogo. E só conseguiu terminar a tempo porque a obstetra aka nova Izzie aka Dra. Lucy aparentemente era fã de basquete, se solidarizou e resolveu ajudá-lo. Com o flerte entre os dois cada vez mais óbvio, Alex a convidou para ir junto, mas ela estava de plantão. De repente o jogo perdeu a graça e Karev preferiu salvar o garotinho do fêmur quebrado. Quem se deu bem foi Jackson, que levou Lexie ao jogo com os dois ingressos. Sem saber, no episódio passado Mark criou seu pior inimigo (de olhos verdes).

Amizade é... não ser madrinha de filho dos outros.

Meredith tenta ter uma vida, monopoliza Cristina
No meio desse caos, Grey ainda tentava viver. Ao saber que Callie convidou Yang para ser a madrinha de seu filho, ela responde um sonoro “não” pela amiga. Aceitar significaria que Cristina acha que Meredith e Derek nunca vão ter um filho. A lógica é completamente absurda (as pessoas não podem ser madrinhas de duas crianças?), mas foi dita em frente ao berçário em um momento em que Grey estava bastante frágil. Yang não teve como negar.

Mas para ter um filho, Meredith precisa de injeções de fertilidade. O que resultou no duplo sentido mais engraçado da história de “Grey’s anatomy”: uma cena hilária entre Mer e McDreamy, que não poderia acontecer em outro lugar que não o elevador. Eles ainda esbarram com Bailey e seu enfermeiro tarado – e por mais que Chandra Wilson tenha nos feito chorar de rir neste episódio, a gente ainda acha que a personagem merece uma storyline melhor.

Na próxima semana, Grey’s ensaia sobre a cegueira.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • A gente
  • Home
  • Retro
  • Homeopatia
  • Overdose
  • Plantão
  • Receituário
  • Ressonância
  • Sem categoria
  • 2020
  • 2019
  • 2018
  • 2017
  • 2016
  • 2015
  • 2014
  • 2013
  • 2012
  • 2011
  • 2010
  • 2009