Sacrifícios e filhos

Nossa avaliação

Muitos dizem que ter filhos muda completamente a vida. E não apenas na dinâmica da casa, mas muda tudo. As preocupações são outras e o simples fato de sair para trabalhar se torna diferente, porque chegar em casa nunca foi tão importante. Terá alguém que estará lá esperando e precisando de você. E acredito que por isso, muitas pessoas que têm esse impulso materno e paterno fariam de tudo pelos filhos. Três Sombras, é uma Graphic Novel que leva ao extremo essa proteção e amor dos pais por um filho.

Moiras e mortes

Três Sombras é uma Graphic Novel de autoria do quadrinhista e animador francês Cyril Pedrosa, lançada em 2011 pela editora Companhia das Letras. A HQ conta a história de Louis e Lise, um casal de camponeses que vivem isolados da civilização ao lado de seu filho, o pequeno Joachim.

A vida dos três era só tranquilidade e amor. Cuidavam do campo, tomavam banho no lago, caçavam, preparavam a própria comida com o sustento vindo da terra. Mas, tudo muda inesperadamente, quando três sombras aparecem durante a noite rodeado a casa.

Essas três pessoas que aparecem como sombra, ficam montadas em cavalos, surgindo e desaparecendo na névoa. Se aproximam e se afastam da casa. Até que Louis e Lise percebem que essas três sombras estão lá apenas para levar Joachim embora. Essas três sombras são a morte.

Amor e apego

Sabendo disso, Louis, que é quase um lenhador caricato de tão grande e musculoso, decide partir da vila com seu filho para escapar da morte. Seu destino? As terras de onde seus ancestrais vieram.

Porém, para chegar nessas terras Louis precisa atravessar um rio enorme, que demora três dias em navegação, dentro de um barco cheio de mercadores, pessoas doentes, escravocratas e o medo de continuar sendo perseguido pelas três sombras.

Durante a jornada Louis vai entrando em contato com sentimentos que vão muito além do amor ao seu filho. Mas, principalmente, o terror de perdê-lo e o apego que vem após sentir esse terror.

É então, que Cyril Pedrosa deixa um questionamento no ar: até onde vai a linha que ultrapassa o amor paterno e materno e chega no domínio parental? Quando o querer bem a alguém se torna apego?

Pais e filhos

Claro que a HQ de Cyril Pedrosa não tem o intuito de colocar em xeque o amor parental e dizer que todo amor é apego. Muito menos colocar na balança juízos de valores sobre como cada pai e mãe cuida e educa os filhos.

Mas é uma forma de abrirmos os olhos, porque muitas vezes, pais privam os filhos de viver, protegendo demais, com a desculpa de estar cuidando. Mimam e dão tudo na mão, transformando essas crianças em pessoas completamente dependentes e frágeis, com a desculpa de amar demais. Protegem tanto e tanto, que no final das contas, não aproveitam a vida de verdade com os filhos. Não aproveitam o descobrimento, não aproveitar as dores e a maturidade. Não veem os filhos se desenvolvendo ao tentar prendê-los na palma da mão, como um objeto ou ainda um ser que é seu, simplesmente por tê-los gerado.

Cyril Pedrosa, que já trabalhou na Disney em produções como O Corcunda de Notre-Dame e Hércules, e traz para sua HQ uma pegada de aventura, típica da Disney. Que, ao mesmo tempo que dialoga e ensina crianças, fala diretamente com o coração dos adultos. Conseguindo emocionar e tocar, independentemente da idade.

Pessoas e objetos

Não apenas nas relações entre pais e filhos, mas também em nossas relações com amigos e companheiros amorosos, confundimos o amor com o apego.

O grande problema é que o apego é orgulho, e o orgulho é o extremo oposto do amor. Amor é livre, amor vive, amor voa.

Claro que, voltando a obra Três Sombras, não estou dizendo que o correto é esperar a morte de um filho de braços cruzados. Mas sim, aproveitar o máximo da vida dele, ou de qualquer pessoa que você ama, quando elas estão por perto. Porque quando for a hora de ir, elas irão.

Aproveitar o crescimento do filho, suas dores, coração partido e medo, antes que eles saiam de casa. Apreciar e fomentar os momentos bons de um relacionamento, como se cada dia fosse o último ao lado da pessoa. Aproveitar os sorrisos dos avós e os abraços de mães e pais enquanto eles ainda estão conosco, mesmo dando conselhos retrógrados que muitas vezes não queremos ouvir.

Anos e segundos

A vida é curta. Cem anos não são absolutamente nada. E em um época em que uma gripe pode tirar a vida de alguém que você ama com tamanha rapidez, Três Sombras reforça a ideia de que você precisa aproveitar cada momento. O amanhã de fato não existe, e ele pode nunca realmente existir.

Porque quando chegar o momento que as três sombras aparecem, você pode se esconder, pode viajar o mundo para livrar quem você ama. Mas as três sombras sempre vão chegar até o destino delas.

Elas sempre chegam.

Então, ame.

Tico Pedrosa é publicitário, roteirista, escritor, professor e criador de conteúdo. Fã de quadrinho desde sempre. Você pode conferir as ideias dele no instagram e twitter.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • A gente
  • Home
  • Retro
  • Homeopatia
  • Overdose
  • Plantão
  • Receituário
  • Ressonância
  • Sem categoria
  • 2021
  • 2020
  • 2019
  • 2018
  • 2017
  • 2016
  • 2015
  • 2014
  • 2013
  • 2012
  • 2011
  • 2010