Fábulas do Japão à italiana

Nossa avaliação

A cultura do Japão faz algo que eu acho incrível: contar de maneira simples fábulas que são extremamente profundas e cheias de morais. Não é que o ocidente não consegue fazer fábulas profundas, mas é os orientais tem algo a mais na maneira de contar histórias. Talvez seja a língua, os alfabetos ou mesmo a maneira de pensar a narrativa. Acredito que Toppi observou a mesma coisa quando ele resolveu buscar referência na cultura japonesa para escrever os quadrinhos curtos que estão compilados em Tanka.

Poesia

Toppi, quadrinista italiano, é um dos exemplos de artistas que encontrei o trabalho por acaso, me apaixonei de cara, mas que enrolei para ler, então, no momento que li o primeiro quadrinho pensei: “Por que não li antes?”.

Ele é mestre em se aprofundar na cultura de diversos locais do mundo e conseguir transportar seu estilo para essas culturas e formas narrativas. Ele fez isso com Sheraz-De, lançado em dois volumes pela editora Figura, e fez novamente em Tanka.

Tanka, em japonês, é uma estrutura poética composta de cinco estrofes. Um tipo curto de poema muito utilizado no Japão durante o Século VII. Toppi, utiliza esse tema para a história curta que abre o álbum de mesmo nome lançado pela Figura, mas as outras três histórias do álbum acabam tendo a mesma mística cultura, por também serem curtas e extremamente fortes.

Curtas, mas profundas

A primeira história, conta sobre a dedicação de Ronin que faz de tudo para que uma princesa volte a abrir os olhos, pois após um grande trauma em sua vida, ela decide nunca mais abri-los para não ver os horrores do mundo.

A segunda, conta a história de um mestre espadeiro de bom coração que criava espadas indestrutíveis, mas que foi persuadido por um príncipe cruel para que criasse uma espada para que este príncipe governasse com mãos de ferro.

A terceira, a história de um samurai honrado que liderava um exército na guerra, mas decidiu descumprir as ordens de um príncipe para salvar e vencer quando estava fadado a perder caso fosse obediente.

E a última, uma história de vingança que só acabou com a explosão da bomba atômica.

Assim, Toppi vai da idade média japonesa até a modernidade contando histórias profundas e cheias de significados.

Presente

Ler Tanka nos transporta realmente pelo espaço e pelo tempo, e somos tocados pela humanidade dos personagens apresentados. Eles erram, fogem, se vingam e tem rancor. E quem não faz isso tudo?

A grande mágica das histórias narradas por Toppi neste álbum é justamente essa, a maneira que ele absorve a cultura japonesa é tão intensa que ele consegue transformar suas histórias em fábulas orientais perfeitas. Assim, são tão humanas e tocantes como as grandes fábulas já conhecias do povo nipônico.

Em Tanka, Toppi presenteia muitas pessoas com sua HQ: Presenteia e honra toda uma cultura, presenteia também o mercado de quadrinhos europeus que ficou muito mais rico com suas histórias, e presenteia nós, leitores, com uma obra tão magnifica.

Tico Pedrosa é publicitário, roteirista, escritor, professor e criador de conteúdo. Fã de quadrinho desde sempre. Você pode conferir as ideias dele no instagram e twitter.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • A gente
  • Home
  • Retro
  • Homeopatia
  • Overdose
  • Plantão
  • Receituário
  • Ressonância
  • Sem categoria
  • 2021
  • 2020
  • 2019
  • 2018
  • 2017
  • 2016
  • 2015
  • 2014
  • 2013
  • 2012
  • 2011
  • 2010