As bruxas nas fogueiras

Vimos um período muito parecido com a idade média. Não é exagero nenhum começar este texto com uma frase assim. Nunca observei no país pensamentos tão retrógrados de um conservadorismo tamanho que chega a ser assassino. Tudo isso fomentado por uma narrativa cruel daquele que está na cadeira de presidente do país (mas que é muito difícil dizer que ele é presidente, porque nunca atua em beneficio da nação). Penso nisso, relembrei de um quadrinho curtinho que li há alguns anos, Mary, de Magno Costa, e decidi falar sobre ele.

Livro sacrificado

Mary é mais um quadrinho da Coleção Zug da Balão Editorial. Uma coleção que traz apenas histórias curtas e pessimistas sobre diversos aspectos sociais. Em Mary, vemos uma sociedade na idade média, provavelmente europeia, que invade a casa de uma mulher acusada de ser uma bruxa.

O quadrinho, é completamente sem falas, Magno Costa faz um trabalho magistral por meio da narrativa e das expressões das personagens. É desta maneira que vemos uma mulher sendo presa, posta em uma fogueira e morta queimada.

Não fica claro o motivo dela ser considerada uma bruxa, na real, pode não ter motivo nenhum, até. Mas o que fica bem evidente é que a ação de levá-la até a fogueira é um ato religioso. O protagonista da história, o homem que vai atrás da mulher misteriosa, está em porte de uma bíblia, e lê os escritos sagrados antes de assassinar a mulher.

Interpretações maléficas

Aliás, o quadrinho começa com uma passagem do livro Deuteronômio, da bíblia, que é a seguinte: “Não permitam que se ache alguém no meio de vocês que queime em sacrifício seu filho ou sua filha, ou que pratique adivinhação, ou se dedique à magia, ou faça presságios, ou pratique feitiçaria”.

Provavelmente, é essa passagem que dava aval para os fanáticos religiosos da história atear fogo na mulher. Mas, leia com atenção, em nenhum momento a passagem fala para matar, apenas para “não ter essas pessoas próximas”, ou como está na frase “no meio de vocês”.

Daí, me faz pensar muito sobre a interpretação da bíblia e como muitos conservadores pautam ideais conturbadas por causa de uma frase ou outra que está escrita lá. Mas esquecem (ou simplesmente não se importam) com frases como: não mataras, não roubarás, amar o próximo como a ti mesmo.

Castigo divino

Fico imaginando, se o antigo testamento realmente está correto e Deus pune as pessoas pelo pecado, acredito então que todos os males que assolam o mundo estão acontecendo justamente porque as pessoas são más e cruéis, e ainda usam a bíblia para pautar sua crueldade.

As pessoas matam (ou apoiam a morte) em nome de Deus. Segregam e excluem minorias, em nome de Deus. Extorquem e roubam, em nome de Deus. Espalham Fake News, mentiras, ou seja, falsos testemunhos e nome de Deus.

Se tem alguém errado em toda essa história sobre religião é quem distorce tudo de maneira maléfica. E se Deus realmente é punidor, a punição deve ser justamente devida a essas pessoas tão más e deturpadas que apoiam e fazem o horror em nome de Deus.

Tico Pedrosa é publicitário, roteirista, escritor, professor e criador de conteúdo. Fã de quadrinho desde sempre. Você pode conferir as ideias dele no instagram e twitter.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • A gente
  • Home
  • Retro
  • Homeopatia
  • Overdose
  • Plantão
  • Receituário
  • Ressonância
  • Sem categoria
  • 2021
  • 2020
  • 2019
  • 2018
  • 2017
  • 2016
  • 2015
  • 2014
  • 2013
  • 2012
  • 2011
  • 2010