Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Rock de caloura

22.03.06

por Braulio Lorentz

Kelly Clarkson - Breakaway

(SonyBMG, 2005)

Top 3: “Since U Been Gone”, “Breakaway” e “Walk Away”.

Princípio Ativo:
TV

receite essa matéria para um amigo

Hillary Duff é ex-de Aaron Carter, irmão de Nick Carter, sendo que ambos são loiros. Ela é ex-Disney Channel, assim como Britney Spears e Cristina Aguilera, ambas loiras. Mas o que Hillary Duff tem a ver com Kelly Clarkson? Nada, e tudo. Ambas são loiras e estão na leva de novas queridinhas da música pop feita nos Estados Unidos.

Para se fazer sucesso por lá, parece que é preciso ter parte do caminho rumo à fama exibido na televisão. No caso de Hilarry, Britney, Cristina e Justin Timberlake a infância foi exibida no canal do Mickey. Kelly Clarkson não deu o primeiro beijo na Disneylândia, pelo que eu saiba. Ela venceu a primeira edição do American Idol, em 2002, então com 20 anos. O programa é exibido no canal Fox, nos EUA, retransmitido no Brasil pelo canal Sony Entertainment Television, e está na quinta edição.

É comum que haja apenas uma semana de atraso em relação às exibições na TV norte-americana e na brasileira. Mas o papo é outro quando se trata do sucesso dos ganhadores do American Idol. Nesse caso, o atraso é bem maior: Kelly esperou quatro anos. Ela já está no quinto hit do segundo disco, e só agora deu o ar da graça nas paradas daqui, com “Since U Been Gone”. Já adianto que essa mediana balada roqueira está um nível acima das demais. Outra boazinha é “Walk Away”. A canção mais swingada de Kelly é o tal quinto sucesso nas paradas estadunidenses.

Nas primeiras frases do disco, contidas na faixa-título, a loira abre o berreiro e entrega o coração na mão do ouvinte: “Cresci em uma cidade pequena/ E quando a chuva caía/ Ficava na janela/ Sonhando com o que poderia acontecer”. “Não Resisto a Nós Dois”, de Wanessa Camargo, é estranhamente parecida com esta canção. Tanto o hit da neta de Francisco como “Breakaway” não são ruins. Na outra ponta, está “Because of you”, o motivo de me fazer ouvir este disco com um ouvido atrás.

Também é estranho o fato deste disco meia-boca ter levado o prêmio de “Melhor Álbum de Pop” e “Melhor Performance de Pop” no Grammy 2005. Mas o cúmulo da estranheza é que Kelly Clarkson concorria com Sheryl Crow, Fiona Apple, Paul McCartney e Gwen Stefani.

Na capa do disco de estréia, Kelly está com a mão no queixo. Em outras fotos, ela está com os cabelos despenteados. As duas ações em fotografias reforçam duas verdades: ela quer se vender como uma roqueira e tem um baita queixo. O rock de show de calouros de faixas como “Gone” e “Behind These Razel Eyes” não chega a afugentar. No fim, Kelly se vende bem como roqueira. Roqueira sim, mas com a afetação que é herança das apresentações no American Idol.

Se Miranda é nosso Simon, quem será a nossa Kelly?

» leia/escreva comentários (47)